Humor de Verissimo ganha o palco

Quem gosta de teatro e admira o senso de humor sutil e singular de Luis Fernando Verissimo pode comemorar. A partir de amanhã para convidados e quinta para o público o Teatro Brasileiro de Comédia apresenta as mais famosas crônicas do escritor reunidas no livro As Mentiras que os Homens Contam.O espetáculo, que leva o mesmo nome do livro, ganhou adaptação do jornalista Marcelo Rubens Paiva. Assim como aconteceu com o livro, o título da peça pode sugerir que as crônicas falam apenas das mentiras que os homens contam para as mulheres, mas, na verdade, elas falam das mentiras que os homens contam - e ponto. Não são mentiras contadas apenas ao sexo oposto, mas mentiras de toda a espécie."É por isso que eu acho que deveria se chamar ?As mentiras que os homens e as mulheres contam´", brinca Paiva. "Verissimo criou personagens femininas fascinantes. A mulher nunca é só um coadjuvante."Paiva lembra que em uma das histórias "a grande mentirosa é a mulher", que esconde o amante no armário mas esquece os sapatos para fora. Ao ser indagada pelo marido, se defende afirmando que os sapatos são dele mesmo e que não deveriam estar jogados fora do lugar.Paiva conta que a estrutura da peça, no entanto, não segue a do livro, no qual as crônicas são independetes umas das outras. Em vez de fazer as esquetes - assim como foi feito na televisão com o quadro Vida ao Vivo, do Fantástico -, ele optou por transformar em um texto linear."Foi fácil, porque percebi que todos os contos têm um ponto em comum. Sempre havia um casal e sempre havia um homem se relacionando com amigos, que poderia ser um alter-ego que ele criou. Me surpreendeu a forma como essa idéia fluiu. Escrevi o roteiro em um mês."A peça tem dois casais centrais e, eventualmente, o homem se encontra com a sua roda de amigos. Crônicas como a do casal que inventa uma mentira para cancelar um compromisso na casa de um amigo e se vê obrigado a esconder-se, pois os amigos vão checar se a desculpa é verdadeira, fazem parte do espetáculo.Apesar da mudança, Paiva garante que 90% dos diálogos são de Verissimo. "Só adicionei alguns para costurar as cenas. E com a devida autorização do autor", disse. "Tanto que quem leu o livro certamente o reconhecerá na peça."A diretora do espetáculo, Renata Soffredini, que é também dramaturga, explica que o universo masculino - tema central dos contos de Verissimo - foi abordado em três momentos: a relação do homem com a mãe, a namorada e a esposa; o momento clube do bolinha, quando ele está só com os amigos e fala principalmente de futebol; e a vaidade masculina."Ao fazer uma crítica ao machismo, Verissimo critica também o entorno, as mulheres, o trabalho, a sociedade em geral", resume a diretora. Renata conta que a peça segue a linha estética do teatro popular, e usa a linguagem do circo-teatro, pesquisa que ela fez com o pai, o dramaturgo Carlos Alberto Soffredini, e que torna a comunicação direta com o público. "Os cinco personagens (três homens e duas mulheres) são também narradores e em alguns momentos interagem com o público."As Mentiras Que Os Homens Contam - TBC. Sala Assobradado (Rua Major Diogo, 315. tel.: 3115-4622 De quinta a sábado, às 21h e domingos às 19h. Ingressos: de R$ 20 a R$ 30. Até 29/09.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.