'HULK É O ESPELHO DE MEU FILHO'

Você é o terceiro intérprete do Incrível Hulk em pouco tempo. Como reagiu ao convite?

O Estado de S.Paulo

27 de abril de 2012 | 03h08

Não fiquei irado, se é o que quer saber. Mas confesso que foi uma surpresa. Nunca me havia visto na pele de um super-herói, mesmo que Hulk não seja o herói tradicional. Ele é imprevisível, dual, como o Médico e o Monstro. É nuançado, tem humor. E é perigoso, como um animal selvagem. Creio que meu desafio tenha sido fazer sua raiva parecer real; e suas reações, humanas.

E como você conseguiu isso?

Tenho dois filhos e me inspirei no mais velho. Aos 10 anos, ele é um pequeno Hulk. Tem um mundo em ebulição dentro dele, querendo explodir. E todo mundo fica lhe pondo o dedo na cara. "Fique quieto!", é o que ele ouve o dia inteiro. Pensava na carranca dele acuado. Banner/Hulk nasceu assim.

Você fez filmes intimistas como Ensaio sobre a Cegueira. Como é estar num filme de efeitos, contracenando com fundo azul?

Pode ser verde também, a cor do Hulk (e ele ri). Mas vou lhe dizer - todas as reações iradas do personagem se baseiam nas minhas reações. Tudo o que você vê o Hulk fazer em cena foi feito por mim. Até a cena final com Loki (o vilão). Foi muito divertida de fazer. Sem o Loki, claro. / L.C.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.