House na ótica do coletivo de DJs Gop Tun

Cena eletrônica paulistana vive uma fase de crescimento com a aderência de um público jovem

O Estado de S.Paulo

26 de julho de 2013 | 02h20

A apresentação de Mano Le Tough em São Paulo marca um ano de existência do coletivo de DJs e produtores paulistanos Gop Tun e terá ainda Jaques Renault, experiente DJ de house americano, parceiro da DFA de James Murphy, entre outras gravadoras, na renascença do disco punk, nos anos 2000. A festa e os DJs são um dos bons augúrios recentes da cena eletrônica paulistana, que vive uma fase de crescimento com a aderência de um público jovem e vê suas movimentações mais interessantes acontecerem em festas, longe do eixo de casas noturnas associadas ao gênero que parecem presas a uma mesma clientela.

Enquanto Mano e Jacques não tocam, os DJs e produtores do coletivo (Vitor Kurc, Eduardo Ramos, Gui Scott, Fernando Nascii e Caio Taborda) regem a festa, Como produtores e DJs, defendem um nicho de house acessível, com vocais e constantes referências a elementos de disco music. Vide Johnny Green, de Nascii, um bom e hipnótico exemplo de seu trabalho, disponível no endereço www.soundcloud.com/goptun. / R.N.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.