Divulgação
Divulgação

Hotel Chelsea fecha as portas para início de reforma

Famoso por receber celebridades, hotel deve ser vendido ainda este ano, de acordo com o 'New York Times'

EFE

02 de agosto de 2011 | 17h16

NOVA YORK (EFE) - O histórico Hotel Chelsea de Nova York, onde estrelas como Janis Joplin, Bob Dylan e Andy Warhol moraram, amanheceu nesta segunda-feira sem hóspedes para começar uma reforma que alguns acreditam que representará o fim de um dos ícones da vida boêmia da cidade.

 

'Há um inquietante silêncio hoje no hotel. Despejaram os últimos turistas de seus quartos no domingo', descreve o blog do escritor Ed Hamilton, que morou nesse imóvel por mais de 10 anos e é autor de 'Lendas do Hotel Chelsea'.

 

Os proprietários do edifício cancelaram todas as reservas realizadas desde sábado passado, embora os cerca de cem inquilinos que moram de forma permanente no hotel poderão continuar hospedados no local durante o ano das obras para reformar o edifício, designado como patrimônio histórico da cidade.

 

O imóvel está em processo de ser vendido por US$ 80 milhões ao promotor imobiliário Joseph Chetrit, embora o acordo ainda não tenha sido concluído, segundo publicou nesta segunda-feira o jornal 'The New York Times', que cita fontes anônimas próximas às negociações.

 

Os moradores do hotel, em sua maioria artistas que quiseram preservar o ambiente boêmio que reinou nos quartos do Chelsea desde 1905, acreditam que os novos proprietários acabarão com o mito.

 

Para tentar acabar com esses medos o arquiteto encarregado das reformas, Gene Kaufman, garantiu ao jornal que o encantamento original do hotel, incluindo sua escada de ferro e as obras penduradas nas suas paredes, será preservado: 'as pessoas não deveriam ficar nervosas por isso', assegurou.

 

Mas, desde outubro do ano passado, quando vazaram notícias que os proprietários do hotel, membros da mesma família que o comprou em 1946, queriam pôr a venda o edifício pela necessidade de reformas, os inquilinos temeram que os novos donos não quisessem continuar o legado de seus antecessores.

 

'Graças a sua longa lista de famosos residentes e hóspedes, o hotel tem uma história bastante ornamentada, tanto por ter hospedado o nascimento da arte moderna como por ter sido o lar do mau comportamento', explica o site do próprio hotel.

 

Entre os diversos escritores, estrelas da música e artistas que passaram por ali e inclusive viveram no hotel está o cantor americano Bob Dylan, que escreveu nesse hotel diversas canções, e o pintor Andy Warhol, que gravou ali um filme experimental chamado 'Chelsea Girls'. EFE

Tudo o que sabemos sobre:
Hotel Chelsea

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.