Hospital suspende funcionários por ler ficha de George Clooney

O hospital em que o ator GeorgeClooney recebeu tratamento depois de um acidente de moto acusoucerca de 40 funcionários, incluindo médicos, de ter lido aficha médica do ator, um ato inapropriado, afirmou um sindicatona quarta-feira. O sindicato dos profissionais da saúde em Nova Jersey, nosEstados Unidos, disse que sete membros foram suspensos por ummês, sem receber salário, pelo Centro Médico Palisades MedicalCenter por causa do incidente. Clooney, 46, fraturou uma costela, e a companheira dele,Sarah Larson, quebrou o pé quando os dois caíram da moto apósuma colisão com um carro, no fim de setembro. A presidente do sindicato, Ann Twomey, disse em uma notaque os enfermeiros e profissionais filiados à entidade podiamter autorização para ler a ficha de Clooney. O sindicato estáinvestigando. "Embora acreditemos que as pessoas tenham de serresponsabilizadas se violarem a privacidade do paciente, tambémacreditamos que o hospital tinha a responsabilidade deestabelecer sistemas adequados para proteger a privacidade dopaciente", disse ela. "Em vez disso, o hospital fez juízos apressados e impôsduras punições econômicas, em vez de trabalhar para evitarfuturas falhas na segurança." Não havia representantes do hospital disponíveis paracomentar o caso. Numa declaração à imprensa local, Clooneydisse ser contra a suspensão dos funcionários. (Reportagem de Michelle Nichols)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.