Homi Bhabha é destaque de simpósio em São Paulo

Além da mostra do artista italiano Bruno Munari no Instituto Tomie Ohtake, que fecha a programação ''Bienal na Cidade'' de exposições do evento em outros espaços institucionais da capital paulistana, a 30ª edição promove entre esta terça e quinta-feira o Simpósio Trigésima Bienal de São Paulo, com debates e palestras no Sesc Belenzinho (Rua Padre Adelino, 1.000).

AE, Agência Estado

06 de novembro de 2012 | 11h05

O primeiro encontro ocorrerá terça, das 15 h às 18 h, tendo como tema Iminências - ou "a prática artística produz seu significado mantendo o sentido no estado de potência". O curador-geral da 30ª Bienal de São Paulo, Luis Pérez-Oramas, faz a abertura do simpósio e seguem-se depois palestras do indiano Homi K. Bhabha, diretor do Centro de Humanidades da Universidade de Harvard; e de Giovanni Careri e Peter Pál Pelbart.

Bhabha é o grande destaque do simpósio - foi com o diálogo entre o professor e Oramas que se chegou ao conceito de "Iminência das Poéticas" que dá título à mostra (Bhabha também assina texto no catálogo da exposição). Já quarta, as palestras giram em torno do tema Arte Contemporânea: Disciplina e Antidisciplina; e, na quinta, da questão do arquivamento, com participação especial da professora doutora assistente de História da Arte na Universidade Temple (EUA), Adele Nelson. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
Bienalsimpósio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.