Homem é condenado a 2 anos por perseguir Ryan Seacrest

Chidi Uzomah Jr., de 26 anos, confessou perseguição a apresentador do 'Americal Idol'

14 de junho de 2010 | 20h31

LOS ANGELES (Reuters) - Um juiz condenou nesta segunda-feira, 14, um homem à sentença máxima de dois anos de cadeia por perseguir o apresentador do programa "American Idol" Ryan Seacrest.

 

O juiz da Corte Superior de Los Angeles, John Fisher, impôs a sentença a Chidi Uzomah Jr., de 26 anos, após ele ter confessado perseguição a Seacrest.

 

Uzomah foi detido em outubro de 2009 nos escritórios da E!, emissora de televisão onde Seacrest trabalha. Ele tinha uma faca de bolso, informou a polícia.

 

A prisão ocorreu menos de dois meses após Uzomah ter enfrentado um segurança do apresentador em um evento beneficente.

 

O juiz ordenou também que Uzomah fique cerca de 500 metros de distância de Seacrest e de seu local de trabalho por 10 anos.

 

Seacrest é uma personalidade do rádio e da televisão norte-americana, mais conhecido como apresentador do reality show "American Idol".

Tudo o que sabemos sobre:
Ryan Seacrest

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.