'Homem-Aranha' francês escala arranha-céu de Hong Kong

O escalador Alain Robert, conhecidocomo "Homem-Aranha", escalou na terça- feira um hotel de luxode 45 andares em Hong Kong para chamar atenção à questão doaquecimento global. Essa foi a terceira escalada do francês nametrópole cheia de arranha-céus.Depois de escapar da polícia da cidade, que recebeu a denúnciade que poderia haver uma escalada num local desconhecido,Robert, de 45 anos, subiu o hotel Four Seasons vestindo umacamisa branca e sem nenhum equipamento de segurança, usandoapenas as próprias mãos. Enquanto ele subia pelo prédio, veículos de emergência evans da polícia estavam a postos. Os bombeiros inflaram umgrande colchão de segurança abaixo do "Homem-Aranha". Uma grande multidão olhava para cima e suspirou quando oescalador cabeludo escorregou em um ponto da subida,recuperando o equilíbrio logo depois. "Ele é totalmente louco, é muito perigoso", disse JakobMense, uma das pessoas que testemunharam a escalada. "Quando o tempo está assim, tudo bem. Mas, se estivesseventando ou chovendo, seria inacreditavelmente difícil epoderia matá-lo", disse John Chan, que colaborou com abiografia do "Homem-Aranha" recentemente lançada. Antes da subida, Robert disse que queria enfatizar anecessidade de uma ação internacional conjunta para conter oaquecimento global. "Temos de fazer o mundo entender que, agora, não temos maistempo e precisamos agir imediatamente", disse Robert, que temum site na Internet: http://www.thesolutionissimple.org. O francês foi detido pela polícia de Hong Kong por poucotempo, sendo liberado mais tarde, disse seu advogado, JohnPickavant. Em, fevereiro, o "Homem-Aranha" escalou o Edifício Itália,em São Paulo, após duas tentativas frustradas. Ele desceu esubiu o prédio de 151 metros de altura em pouco mais de umahora. Robert já escalou mais de 80 dos prédios mais altos domundo, incluindo a torre Eiffel em Paris, as torres Petronas naMalásia e o edifício mais alto da China, o Jin Mao Tower, de 88andares, que fica em Xangai. (Reportagem de James Pomfret)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.