Hoje é dia mundial do teatro infanto-juvenil

Hoje, Dia Mundial do Teatro para a Infância e Juventude, será comemorado de uma maneira diferente na cidade - com a criação do Centro Paulista de Teatro para a Infância e Juventude (CPTIJ) e o debate Um Olhar sobre a Criança e o Olhar da Criança. O bate-papo será na Sala Paulo Emílio Salles Gomes, do Centro Cultural São Paulo, entre o diretor Ilo Krugli, a crítica e escritora Tatiana Belinky, o dramaturgo Vladimir Capella e a atriz Lizete Negreiros. A data é festejada por 70 países. A criação do Centro Paulista é um sonho antigo, que neste momento toma forma, como explica Lizete. "Nos anos 70, o professor Clóvis Garcia, em contato com associações internacionais para o teatro infantil, trouxe a idéia para o Brasil. Organizamos a Associação Paulista para o Teatro Infantil, com a idéia de transformá-la em um grande centro. Na época, a atuação foi marcante, houve um grande salto na qualidade dos textos e na produção das companhias", explica. A Associação fechou as portas nos anos 90, mas a idéia permaneceu viva com as companhias. Os artistas uniram-se e criaram no Rio o Centro Brasileiro para a Infância e Juventude, filiados às associações internacionais. Como um braço desse Centro Brasileiro, nasce o Paulista, que segue as mesmas diretrizes, com foco no conteúdo das peças, da dramaturgia, dos atores e das produções. "Não estamos interessados na grandiosidade dos espetáculos, mas naquilo que é transmitido. Buscamos a respeitabilidade do público e mídia." As ações do Centro Paulista serão próprias, sem atrelamento ao Centro Brasileiro, com respeito às características do público local, embora seguindo a mesma linha de pensamento. As instituições não têm fins lucrativos. De acordo com um dos membros do CPTIJ, Dario Uzam, da Cia. Articularte de Teatro de Bonecos, o grupo pretende integrar companhias e artistas em prol da qualidade cultural dos espetáculos. "Uma comissão composta por cerca de 20 grupos discute questões artísticas, com a intenção de envolver e pensar nas crianças. A criança deve ser respeitada, temos a responsabilidade de preparar os futuros cidadãos." O CPTIJ questiona as produções tidas como comerciais. "Não queremos criar pequenos grupos, mas sim discutir com toda a classe caminhos para o teatro infantil. Pretendemos chamar a todos, mesmo aqueles mais voltados a atender outros interesses." A proposta é formar uma rede, para atuar de forma política junto às Secretarias de Cultura do Estado e Prefeitura e às escolas. Uzam afirma há uma proposta de sensibilizar professores e aproximar companhias e colégios. Outras ações serão realizadas para envolver a sociedade no projeto, como uma grande mostra no segundo semestre, sem data fechada. O grupo pleiteia uma sede. "Reivindicamos uma sala de teatro, se possível, para realizarmos mostras, debates, oficinas e workshops." Como primeira ação concreta será realizado o debate ´Um Olhar sobre a Criança e o Olhar da Criança´. Após a leitura do estatuto do CPTIJ, os participantes serão convidados a discutir o enfoque dado às crianças. Perguntas como: Qual o pensamento que envolve a produção? O que as crianças representam na sociedade? deverão ser respondidas e refletidas durante o debate. Em segundo momento, após o Centro estar juridicamente instalado, os organizadores vão abrir espaço aos pequenos. "Queremos ouvir o que eles pensam, o que querem. É importante ouvi-los, para crescermos", afirma Lizete. Serviço - Evento de criação do Centro Paulista de Teatro para a Infância e Juventude. Hoje, das 14h30 às 17h30. Grátis. Centro Cultural São Paulo - Sala Paulo Emílio Salles Gomes. Rua Vergueiro, 1.000, tel. 3277-3611

Agencia Estado,

20 de março de 2003 | 12h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.