Reprodução
Reprodução

HIV é protagonista de documentários

TV Brasil e Home & Health lembram o Dia Mundial de Combate à Aids

O Estado de S. Paulo

30 de novembro de 2010 | 07h00

Na semana em que se celebra o Dia Mundial de Combate à Aids, na quarta-feira, a TV Brasil e o Discovery Home & Health voltam suas programações para a doença que, se já não é mais tão assustadora quanto antes, ainda requer grande atenção.

A TV Brasil exibe três documentários inéditos na televisão brasileira: as produções americanas Me, Myself & HIV e O Milagre de Lázaro, além do nacional Positivas.

Produzido pela MTV, Me, Myself & HIV acompanha a vida de dois soropositivos, uma norte-americana de classe média de 25 anos e um jovem africano da Zâmbia, de origem humilde – como se pode imaginar, há grande diferença entre as realidades dos dois pacientes. O Milagre de Lázaro, produção da HBO, mostra a rápida recuperação de quatro africanos infectados pelo HIV após um tratamento antirretroviral na Zâmbia. Os dois documentários serão exibidos na quarta-feira, às 20h30 e às 22h30, respectivamente.

Dirigido por Susanna Lira e vencedor do Troféu Redentor de Melhor Documentário no Festival do Rio 2010, Positivas será exibido durante o Programa de Cinema, na sexta-feira às 23 horas. O filme mexe com um grande tabu: conta a história de mulheres brasileiras infectadas pelos seus maridos infiéis.

Ainda hoje, às 23h, o Home & Heath exibe o premiado documentário Amor Em Tempos de Aids (Love In A Time of HIV), considerado o documentário mais criativo do ano passado pela Association for International Broadcasting, pelo "tratamento sensível de um tema delicado".

Com uma hora de duração, dirigido por Beth Jones e Nicky Lankester, e apresentado pela primeira vez pelo canal americano Showtime, o filme, como o próprio nome denuncia, fala como jovens infectados convivem com a doença e qual é o impacto dela sobre suas vidas e relacionamentos.

Uma das histórias, que exemplifica como o problema é grave no continente africano, é o caso da sul-africana Tender Mayundla, que chegou perto de realizar o sonho de ser cantora quando chegou à final de um concurso, mas duas semanas depois descobriu estar infectada pelo vírus HIV e foi expulsa da competição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.