History Channel estreia 1º programa produzido no Brasil

Em vez de uma foice, um jardineiro usa uma velha espada para capinar a grama de uma casa na ilha de Paquetá, no meio da baía de Guanabara, no Rio de Janeiro. Ele desconfia, mas não tem certeza, de que a arma, toda enferrujada, foi usada na Guerra do Paraguai (1864-1870). Primeira série produzida totalmente no Brasil pelo canal por assinatura The History Channel, "Detetives da História", que estreia hoje, às 21h, usará objetos como essa espada para contar a História do Brasil, ao mesmo tempo em que investiga se procede, ou não, os boatos em torno de cada objeto mostrado.

AE, Agência Estado

27 de abril de 2010 | 09h07

Apresentado pelos atores Renata Imbriani e André Lopes, que encarnam os detetives, o programa terá inicialmente seis episódios, com dois casos por capítulo. No primeiro, além da espada, eles tentam descobrir, a partir de um livro antigo, se o engenheiro que projetou o Cristo Redentor é mesmo um francês ou se a autoria foi de um brasileiro. "Nenhum programa é gravado dentro do estúdio. Tudo é feito na rua. Vamos a campo investigar mesmo", diz Renata. André completa: "Além da história dos objetos, descobrimos coisas fantásticas sobre as pessoas que são donas dessas peças".

A série também investigará documentos antigos encontrados no sul do País e que mostram que a invenção do rádio é de um padre brasileiro e não do italiano Guglielmo Marconi. Há espaço, ainda, para falar sobre o conflito no cangaço, abordado a partir dos óculos que poderiam ter pertencido a Virgulino Ferreira da Silva, o Lampião. Belisário Franca, um dos produtores, garante: além das 12 histórias iniciais, eles já têm catalogados, pelo menos, outros 60 objetos que poderão ser usados em novos episódios. "O Brasil tem muita história para contar", diz. As informações são do Jornal da Tarde.

Detetives da História - Estreia hoje, às 21h, no The History Channel. O primeiro episódio falará sobre uma espada que poderia ter sido usada na Guerra do Paraguai e investigará a autoria da estátua do Cristo Redentor, no Rio.

Tudo o que sabemos sobre:
televisãoHistory Channel

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.