Histórias de Amor inspiram dança de Ana Botafogo

Reestréia hoje, no Teatro Faap, o espetáculo de dança Três Momentos do Amor, fruto da amizade entre a bailarina Ana Botafogo e a pianista Lilian Barreto. Explorando a paixão, o romantismo e a separação, fica em cartaz na capital paulista até domingo e mescla coreografias e música ao vivo no palco. No repertório, há composições de Tom Jobim, Chico Buarque, Villa-Lobos, entre outros. Depois, segue em turnê para Rio, Belo Horizonte e Salvador, entre outras cidades.A idéia nasceu em 1992, mas apenas no fim de 2001 o projeto foi retomado a convite do Centro Cultural Banco do Brasil. "Decidimos reunir as músicas que gostávamos, estas foram escolhidas muito antes das coreografias", observa Lilian. Segundo Ana Botafogo, as músicas e a dança tratam do amor de diversas formas. "Desencontros, encontros alegres, promissores, momentos de solidão ou a busca por um alguém. Em suma, posso dizer que o espetáculo trata do amor na forma de relacionamentos." Em um primeiro momento, a peça conta com direção cênica de Cláudio Botelho, coreografia de Heron Nobre ? que é responsável pela primeira parte do espetáculo chamado de verde-e-amarelo ? e participação dos bailarinos Joseny Coutinho e Marcelo Misailidis que dançam ao lado de Ana Botafogo. Na segunda parte, quem assume a criação é o coreógrafo Renato Vieira e a trilha sonora fica por conta das composições de Chico Buarque e Tom Jobim. Por fim, a empolgação, a sensualidade e a força dos tangos Años de Soledad, Libertango, Invierno Porteño e Adíos Nonino, de Piazzolla, são transformados em dança pelas mãos do argentino Luís Arrieta. Ana dialoga com os bailarinos, ora rivais, ora cúmplices. A parte musical tem Lilian ao piano e mais cinco músicos (violino, viola, violoncelo, sopros e percussão) no palco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.