História da medicina na TV paga

Uma história de sorte, falta de sorte, terror e esperança - esta sempre foi a luta da humanidade contra as doenças. Os grandes avanços da medicina, que corresponderam também a inúmeras vidas perdidas, e a ciência se preparando para entrar em uma nova era de milagres tecnológicos são assuntos da série Morte ou Cura, que o Discovery Health estréia hoje, às 22h. Mistura de ficção e realidade, Morte ou Cura, com quatro episódios de uma hora cada, nas quartas-feiras de fevereiro, segue o rastro das coincidências e lances de genialidade que salvaram a humanidade da dor e da doença. O primeiro episódio, Infecção, mostra que os seres humanos são mais propensos a morrer de infecções transmitdas por mosquitos do que por qualquer outra doença. No entanto, há apenas pouco mais de um século é que se começou a estabelecer as ligações entre insetos e doenças. O programa analisa a longa luta que resultou, primeiro, na criação dos antibióticos modernos e na compreensão de infecções resistentes às drogas. O episódio conta esta história levando os telespectadores às montanhas do Peru, passando pelo maior cemitério do mundo, em Londres, na Inglaterra, até os Centros de Controles de Doenças, onde os organismos mais perigosos do planeta ficam armazenados. No dia 13, próxima quarta, entra em cena Cirurgias, traçando a linha das tentativas e adversidades, os grandes sucessos e os fracassos mais retumbantes no campo cirúrgico. Os segredos do corpo humano vão sendo desvendados numa visita às salas de cirurgia do Victorian England, às florestas da Guatemala, mostrando também a ação dos ladrões de cemitérios. Sangue (no dia 20 de fevereiro) traz a dimensão misteriosa que abrange dos rituais sagrados aos filmes de terror B, mostrando uma cirurgia de coração em um paciente que não aceita fazer transfusão. A série termina com o episódio Loucura. De todas as doenças, esta talvez seja uma das que mais causam sofrimento ao paciente. Temidos e rejeitados, os doentes mentais sempre foram submetidos a todo tipo de terror - de serem queimados em fogueira à tortura física. Nos anos 50, a medicina moderna parecia ter finalmente descoberto a cura das doenças mentais, mas logo voltou-se aos métodos que mais pareciam retirados de um manual da Inquisição. Só agora os especialistas estão compreendendo mais profundamente os misteriosos processos das doenças mentais e desenvolvendo medicamentos para combatê-las.

Agencia Estado,

06 de fevereiro de 2002 | 11h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.