Hiroshima, na visão de Imamura

Gigante

LUIZ CARLOS MERTEN, O Estado de S.Paulo

13 de março de 2013 | 10h59

22 H NA CULTURA

(Gigante). Uruguai/Argentina/Espanha/Alemanha, 2009. Direção de Adrián Biniez, com Horacio Camandule, Leonor Svarcas, Ignacio Alcuri.

O horário da Mostra exibe o belo filme do uruguaio Biniez sobre segurança de supermercado que se interessa por funcionária, a quem segue pelas câmeras que vigiam toda a empresa. Renata de Almeida e Cunha Jr. conversam sobre o longa com Leonardo Cruz, editor da Folha. O filme é muito bom. Hoje passa com legendas. Na sexta, passa de novo, e dublado. Reprise, 84 min.

A Creche do Papai

15H40 NA GLOBO

(Daddy Day Care). EUA, 2003. Direção de Steve Carr, com Eddie Murphy, Jeff Garlin, Steve Zahn, Regina King, Kevin Nealon, Anjelica Huston.

Publicitários que perderam o emprego e não podem pagar pela escolinha dos filhos criam o que promete ser a escola definitiva - educação moderna, segurança, atenção o dia todo, enquanto os pais trabalham. Eddie Murphy e Jeff Garlin são bons, mas Anjelica Huston rouba a cena como a megera que dirige a antiga escolas das crianças - e não aceita a concorrência. Reprise, colorido, 92 min.

A Caçada

23 H NA REDE BRASIL

(The Hunting Party). EUA, 2007. Direção de Richard Shepard, com Richard Gere, Terrence Howard, Jesse Eisenberg, Josh Brolin, Diane Kruger.

Baseado na história real do jornalista Scott Anderson, o filme mostra Terrence Howard como cameraman de TV que volta à Bósnia, após a guerra, acompanhando uma equipe - liderada por Richard Gere - que procura criminoso foragido. Há uma recompensa pela localização do brutal assassino de massa, mas o grupo divide-se - há os que agem por consciência. O filme é sólido, vigoroso e bem interpretado. Mas derrapa no desfecho, o que termina por diluir um pouco seu alcance humano e social. Inédito, colorido, 102 min.

TV Paga

Cinco Vezes Favela

14H35 NO CANAL BRASIL

Brasil, 1961. Direção de Marcos

Farias, Miguel Borges, Cacá Diegues, Joaquim Pedro de Andrade e Leon Hirszman.

O filme produzido pelo CPC, Centro Popular de Cultura, da UNE, União Nacional de Estudantes, virou uma espécie de manifesto do Cinema Novo, que queria, no começo dos anos 1960, querer colocar a cara do Brasil na tela. No caso, era o Brasil urbano e, já então, marcado por desigualdades sociais. Os cinco episódios chamam-se Um Favelado, Zé da Cachorra, Escola de Samba Alegria de Viver, Couro de Gato e Pedreira de São Diogo. O melhor é o poema de Joaquim sobre menino que tenta salvar seu gato, numa época em que os bichanos são caçados, nos morros, para fornecer o couro dos tamborins. Mas justamente Couro de Gato já estava pronto e foi integrado ao conjunto. Em 2010, Cacá Diegues produziu outra versão do filme - Cinco Vezes Favela, Agora por Nós Mesmos, com episódios assinados por diretores vindos do próprio morro. Reprise, preto e branco, 92 min.

Esta Mulher É Proibida

19H55 NO TELECINE CULT

(This Property Is Condemned). EUA, 1966. Direção de Sydney Pollack, com Natalie Wood, Robert Redford, Charles Bronson, Kate Reid, Mary Badham, Robert Blake, Dabney Coleman.

Leonard Maltin não entendeu nada e, em seu guia de filmes, chama de absurda a versão que Pollack, em início de carreira, fez da peça em um ato de Tennessee Williams. Natalie Wood faz a jovem interiorana que se envolve com o forasteiro Robert Redford. Os cinéfilos vão identificar ecos de Picnic, Férias de Amor, de Joshua Logan, mas Pollack, trabalhando sobre um roteiro coassinado por Francis Ford Coppola, revela identidade própria. Vale a pena esperar pelo desfecho, quando o grande diretor de fotografia James Wong Howe sobe na grua para filmar a libertação da heroína. E Natalie é esplendorosa, a mais bela (e intensa) jovem estrela de sua época. Reprise, preto e branco, 110 min.

Cama de Gato

22 H NO CANAL BRASIL

Brasil, 2002. Direção de Alexandre Stockler, com Caio Blat, Rodrigo Bolzan, Renata Airoldi, Bárbara Paz.

Três jovens de classe média comemoram a entrada na universidade e a festa vira uma noite de horror, numa escalada de violência que expõe as tensões e desigualdades sociais no País. Produzido em vídeo digital, a troco de nada - os técnicos e atores trabalharam na 'brodagem', sem cobrar cachê -, o longa de estreia do diretor teatral Stockler tem algo de Depois de Horas, de Martin Scorsese. Reprise, colorido, 92 min.

A Coragem de Uma Raça

22 H NO TCM

(Black Rain). Japão, 1989. Direção de Shoei Imamura, com Yoshiko Tanaka, Kazuo Kitmaura.

No mesmo ano, surgiram dois filmes com o mesmo título de Black Rain - o thriller Chuva Negra, de Ridley Scott, e essa reconstituição do horror que se seguiu à explosão nuclear em Hiroshima, que pôs fim à 2ª Guerra. A 'chuva negra' de Imamura é certamente impressionante ao acompanhar os cinco integrantes de uma família que sobrevivem à explosão da bomba. De alguma forma o cartaz da TV paga complementa-se com o belo Rapsódia de Agosto, de Akira Kurosawa, de 1991. Reprise,preto e branco, 123 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.