Renato Rocha Miranda/ TV Globo
Renato Rocha Miranda/ TV Globo

'Hipertensão' terá provas inspiradas em filmes de ação

Terceira temporada do reality show da Globo premia quem tiver mais sangue frio com R$ 500 mil

AE, Agência Estado

08 de setembro de 2011 | 10h30

Com a promessa de ter mais ação, a terceira temporada do reality show Hipertensão estreia nesta quinta, após a novela O Astro, na Globo. A atração, mais uma vez apresentada pela jornalista Glenda Kozlowski, continua com confinamentos gelados nas imediações de Buenos Aires (Argentina), refeições de gosto exótico - algumas delas acompanhadas de insetos - e 16 concorrentes de perfis variados. Na disputa, há estudante de medicina, tatuadora, promotora de eventos, dentista, vendedor de praia, só para citar alguns exemplos. Uns com dificuldades com provas aquáticas. Outros com problemas de ansiedade. O melhor? Será aquele que conseguir conciliar força física e concentração.

O campeão levará R$ 500 mil. Os segundo e terceiro lugares, respectivamente, ganharão R$ 100 mil e R$ 50 mil - os mesmos valores da temporada anterior.

A alimentação carregada de insetos será amenizada mas, nas provas, os concorrentes terão de suar a camisa. Segundo o diretor J.B. de Oliveira, o Boninho, o reality parecerá "um show de dublês". A novidade do formato, original da Endemol, são as tarefas. "As provas serão baseadas em filmes de ação", diz o diretor. Mas, para Glenda Kozlowski, o principal adversário dos candidatos tem sido o frio (o reality ainda está sendo gravado).

Logo no primeiro dia de gravação, a produção, formada por 150 pessoas, teve de lidar com temperaturas abaixo de 10ºC. Apesar de não gostar da sensação gelada, Glenda simpatiza com a ''linha adrenalina'' do programa. A jornalista, que também comanda o Esporte Espetacular, entrou na profissão por causa dos esportes radicais. De 1987 a 1991, a ex-bodyboarder participava de campeonatos de surfe. Entre suas maiores aventuras está a de ter surfado no Havaí, com ondas de cinco metros. "E, ainda, ser mãe de parto normal duas vezes e apresentar o Hipertensão", completa ela.

Desde que ingressou na atração (ela estreou no ano passado, no lugar de Zeca Camargo), Glenda viu sua popularidade nas ruas aumentar. "Fico feliz, porque é sempre com muito carinho." Ela, que tem Pedro Bial como referência na apresentação de realities, está completando 15 anos de Globo. E, apesar de estar à frente de uma atração de entretenimento, não faz planos de comandar outras coisas do gênero. "Adoraria é participar de uma cobertura de guerra. As histórias humanas são muito fortes", conta. O Hipertensão vai ao ar às quintas, à meia-noite, e aos domingos, às 23h. As informações são do Jornal da Tarde.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.