Herchcovitch empolga com festa junina fashion

Agora vai! O terceiro dia da São Paulo Fashion Week começou em ritmo de aventura, satisfazendo - finalmente - o apetite dos fashionistas de plantão no Pavilhão da Bienal.Alexandre Herchcovitch abriu os trabalhos com uma coleção brasileiríssima. Sob uma trilha erudita de cirandas e bandeirinhas de festa junina, impecavelmente brancas (Volpi super minimalista?), desfilaram roupas que misturam brejeirice e alto padrão fashion.Com seu parceiro criativo, o stylist Maurício Ianês, Herchcovitch propõe um verão que tem saias patcwhork de jeans, bermudas sequinhas com corações aplicados nos bolsos traseiros e decotes lenços mimosos (os tais que não funcionaram ontem, na passarela da Triton).A atitude é a de sempre, fashion solene, com modelos se deslocando sem nenhuma afetação, muito sérias, como nos tempos das maisons de couture. E eram caipirinhas muito alinhadas, com seus vestidos de retalhos coloridíssimos e corselets justinhos sobre camisas românticas.Intrincadas amarrações de lenços coloridos formavam um vestido que pode sair tanto de dia para um piquenique, quanto arrasar de noite em uma festa bombada. E o modelinho todo debruado com franjas rústicas é de uma dignidade impactante.As jaquetinhas são pequenos mimos e, como sempre, existem bolsos "exatamente na altura onde as mãos os querem encontrar", como ensinava mademoiselle Chanel.No final, uma consagração haute couture: o estilista Clodovil (que anda numa fase fofa), sacou um buquê de flores debaixo da sua cadeira na primeira fila e ofereceu ao jovem colega. Na saída, o veterano da moda confidenciou a um amigo que volta com tudo ao antigo métier no ano que vem. Sinal dos tempos...

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.