Divulgação
Divulgação

Hélio Oiticica inspira grupo de dança em São Paulo

Pesquisa da coreógrafa Mariana Muniz começou em 2007, com 'Parangolés'

AE, Agência Estado

04 de fevereiro de 2011 | 11h52

Entre os anos 60 e 70, o artista plástico Hélio Oiticica (1937 - 1980) criou o conceito de obras "penetráveis". Ou seja, a obra de arte só estava conceitualmente completa quando o visitante (espectador) interagisse com ela. Foi um penetrável batizado de Tropicália, por exemplo, que ajudou a consolidar as bases do movimento cultural e musical de Gil, Caetano, Tom Zé, Os Mutantes e outros.

Era natural que Oiticica e seus penetráveis inspirassem uma artista como Mariana Muniz (coreógrafa, dançarina e atriz) - que já havia feito experiências de teatro-dança com poemas de Florbela Espanca, Ferreira Gullar e Arnaldo Antunes. Amanhã, Mariana estreia o espetáculo "Penetráveis", inspirado no trabalho de Oiticica, com apresentações gratuitas no Parque da Juventude, no Teatro Anhembi Morumbi e na Galeria Vermelho.

A artista explica como chegou ao trabalho de Hélio Oiticica. "Uma vez, assisti a um vídeo no qual ele vestia um dos seus parangolés e fazia uma performance intensa, ao som da bateria da mangueira. Aquilo me tocou. A partir dali, decidi começar a me aprofundar nessa proposta de dança e artes plásticas", diz Mariana.

A pesquisa da coreógrafa começou em 2007, quando a Cia. Mariana Muniz de teatro e dança deu início a um processo de articulação entre artes plásticas e dança. Desse estudo nasceu o espetáculo Parangolés. Dois anos depois, o mesmo grupo criou o espetáculo Nucleares, que se aprofundava ainda mais na obra de Oiticica e nas possibilidades de cruzamento entre artes plásticas e dança. Finalmente, em Penetráveis, Mariana quer explorar a relação da dança com o espaço (principalmente o público) e envolver o espectador num ambiente novo ou desconhecido até então.

Nas apresentações de fevereiro, Penetráveis será representado em três locais (Parque da Juventude, Teatro Anhembi Morumbi e Galeria Vermelho). Em cada um desses espaços, a relação do dançarino-ator será distinta, provocando um espetáculo também diferente. "Estamos ansiosos pela reação das pessoas. Esse é um trabalho que deve proporcionar uma nova experiência para quem assiste", diz Mariana. Penetráveis rompe os muros que separam palavra e movimento, poesia e dança. As informações são do Jornal da Tarde.

Penetráveis - Todas as apresentações são gratuitas. Parque da Juventude (Av. Zaki Narchi, 1309); amanhã e domingo, às 16h. Tel. (011) 2251-2706.  Teatro Anhembi Morumbi (Rua Dr. Almeida Lima, 1.134, Brás). Dia 16, às 11h. Tel. (011) 2790-4500. Galeria Vermelho (Rua Minas Gerais, 350, Consolação). De 17 a 19, às 20h30; dia 20, às 19h. Tel.(011) 3138-1520.

Tudo o que sabemos sobre:
dançaespetáculoHélio Oiticica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.