Helena Armond expõe no MuBE

A exposição Em Busca do Elo Perdido, de Helena Armond, simboliza justamente o verdadeiro motivo que fez a artista plástica e escritora mineira voltar a expor. Para transmitir essa mensagem e fazer com que o público também refletisse sobre o tema, ela preparou durante o ano de 1999 cerca de 70 sapos feitos em pedra sabãoObedecendo ao critério da arte conceitual, o trabalho de Helena merece seus méritos por respeito ao material. Sua técnica extrai de maneira propositadamente rudimentar a forma do anfíbio. Todos eles estão interligados por fios de telefone, simbolizando a comunicação, as linhas do DNA, "onde tudo começa", explica Helena. Para criar um ambiente mais aconhegante, os sapos ficarão expostos no espelho d´água, do MuBE, até o dia 15 de outubro. "Esta exposição é resultado de tudo aquilo que venho discutindo comigo mesma, parece mais um resgate de minhas origens", afirmou Helena. Ela conta que esculpia os sapos ao mesmo tempo em que também buscava na internet informações sobre suas origens: uma mistura de português e nova judia. A pedra no caso também tinha um valor muito forte, já que é originária de Minas Gerais, lugar onde guarda toda a sua infância. Helena Armond já participou das Bienais de São Paulo de 1977 e do Chile em 1996. Além disso como escritora, recebeu o prêmio APCA "Melhor livro de Poesia" em 1998, por Pedra D´Ara, um de seus de 15 livros publicados. Neste Domingo, a artista estará autografando o livro Em Busca do Elo Perdido (Editora Escrituras), no qual está registrando este seu novo trabalho.Serviço - Em Busca do Elo Perdido - MuBE, rua Alemanha, 221. Tel: (11) 881-8611. De terça a domingo, das 10 às 19h. Até 15 de outubro. Vernissage dia 17 de setembro às 14h. Entrada franca.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.