Heather Mills se irrita com publicação do veredicto do juiz

Segundo a sentença, boa parte do depoimento de Heather ao ao Tribunal foi, 'não foi totalmente sincero'

Efe

18 de março de 2008 | 19h08

Heather Mills afirmou que está profundamente irritada com a publicação do texto do veredicto emitido pelo juiz Hugh Bennett sobre seu processo de divórcio do ex-Beatle Paul McCartney e que ela tinha tentado, em vão, impedir. "É um escândalo", disse a ex-modelo à BBC nesta terça-feira, 18.   Segundo a sentença, boa parte do depoimento de Heather ao Alto Tribunal de Londres foi, "não só inconsistente e inexato, como também não foi totalmente sincero".   Por decisão do juiz, Heather terá que se contentar com 24,3 milhões de libras (US$ 49 milhões), frente às 125 milhões de libras (US$ 252 milhões) que pedia a McCartney, com quem foi casada por quatro anos.   O juiz decidiu também o pagamento de uma pensão anual de 35 mil libras (US$ 70 mil) para manter a filha do casal, Beatrice.   Em sua sentença, divulgada nesta terça-feira, 18, o juiz descreve Mills como uma mulher "decidida e de personalidade forte".   Sobre o ex-Beatle, afirma que a apresentação de suas alegações perante o tribunal foi "equilibrada".   McCartney "se expressou com moderação, embora em alguns momentos tenha demonstrado irritação justificada, quando não aborrecimento. Foi coerente, exato e honesto", afirma o juiz.   Bennett admite que Mills estava submetida "a enorme pressão", mas diz ter chegado à "conclusão de que boa parte de seu depoimento, escrito e oral, não só era contraditório e inexato, mas também não foi de todo sincero."   Na sentença, o juiz questiona a afirmação de Mills de que era dona de uma cobertura na rua Piccadilly, em Londres, avaliada em 500 mil libras (algo mais de US$ 1 milhão), além de uma propriedade de 250 mil libras (US$ 505 mil) em Brighton (sul da Inglaterra).   "Não posso aceitar os argumentos da esposa de que era rica e independente quando conheceu seu marido em 1999", escreve o juiz.   Segundo ele, o apartamento não valia 500 mil libras naquele ano, como demonstra o fato de tê-lo vendido em 2001 por apenas 385 mil (US$ 777 mil), apesar de o mercado imobiliário ter crescido em valor nesses dois anos.   O juiz rejeita ainda que, em 1999, já fosse proprietária do apartamento de Brighton, pois só comprou o imóvel em março de 2000 e questiona a afirmação de Mills de que tinha entre 2 e 3 milhões de libras (US$ 4 milhões a US$ 6 milhões) no banco, já que não forneceu nenhuma prova documentando isso.   Segundo o juiz, os recibos do Ministério da Fazenda não indicam que Mills desse dinheiro a organizações beneficentes, apesar de ter declarado que dedicava até 80% ou 90% de sua renda a esses fins.   Enquanto isso, Heather Mills ameaça denunciar a advogada de defesa de seu ex-marido, Fiona Shackleton, perante a Ordem dos Advogados do Reino Unido por tê-la insultado durante o processo de divórcio, segundo o jornal "Evening Standard".   No dia do veredicto, Mills atirou uma jarra d'água na advogada, na sala do tribunal. Mesmo assim, Shackleton apareceu depois sorridente e com o cabelo molhado junto ao ex-Beatle.   "Ninguém viu como fez, mas se ouviu algo...e, um momento depois, via-se Fiona Shackleton toda molhada. E a jarra junto a Heather estava vazia. É o mais estranho que já ocorreu no Alto Tribunal", disse uma testemunha.   Segundo fontes citadas pelo "Evening Standard", Mills considera que a advogada de seu ex-marido tem algo contra ela e sente que a atacou pessoalmente durante o julgamento.   Shackleton é a advogada de divórcios mais temida do país - representou o príncipe Charles da Inglaterra em seu divórcio de Diana - e, segundo outras fontes, se Mills decidisse denunciá-la, ela poderia, por sua vez, acusar a ex-modelo de desacato ao Alto Tribunal.

Tudo o que sabemos sobre:
GENTEMCCARTNEYDIVORCIOVALORES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.