Havana inspira Calendário Burti

Um chalé-restaurante construído em 1903 no Parque da Luz, antigamente conhecido como Ponto Chic ou Choperia Bavária e que foi desativado na década de 20, será reaberto depois de todo esse tempo para abrigar a exposição de lançamento do Calendário Burti 2002, no domingo, a partir às 10 horas. Essa mostra do lançamento traz as 13 fotografias feitas em 1994 e 2001 na cidade de Havana por Miguel Rio Branco para ilustrar a nova edição do calendário feito desde 1995 pela Editora Gráficos Burti.Segundo o produtor do calendário, Alex Chacon, a escolha pelo trabalho de Miguel Rio Branco deu-se por causa de sua "especulação mais intensa da cor e da luz na cor". "O importante não era Havana e sim o motivo de uma construção cromática. Os objetos e os locais têm pouca importância, podiam ser de qualquer lugar do mundo", explica. Chacon também ressalta que o calendário deste ano é um contraponto com o passado, formado por fotografias em preto-e-branco.Também não há nenhuma questão temática por trás das imagens feitas pelo fotógrafo, no sentido de trazer à tona questões políticas e culturais sobre a Cuba retratada. Para Chacon, os objetos das fotografias tornam-se até banais. "O interesse é pelo aspecto estético da fotografia dele, a sua decomposição do objeto, a sua palheta de cores", afirma o produtor de origem chilena, que vive no Brasil há 40 anos.Chacon é responsável pela produção do calendário desde o início e já acumula vários prêmios por seu trabalho. Por exemplo o do ano passado, composto por imagens do fotógrafo peruano Martin Chambi, recebeu menção ouro no Kalenderpresis de Stuttgart, na Alemanha, e o Prêmio Kodak para calendários fotográficos, recentemente criado. Nos outros anos, as edições Burti foram premiadas com menções ouro, prata e bronze. A tiragem deste ano é de 2.500 exemplares, que serão oferecidos aos clientes da Burti, instituições, e uma parte estará à venda na Pinacoteca do Estado por R$ 50,00. A renda será revertida para projetos sociais.Lançamento - Além da exposição com as fotografias de Miguel Rio Branco, o lançamento também contará com um show ao ar livre da Big Band Havana/Brasil. A apresentação, das 11 às 13 horas de domingo, será aberta ao público em geral. Como o evento marca a reabertura do prédio octagonal que funcionava como um refinado restaurante no início do século 20, o show também será uma maneira de homenagear o local, uma vez que vai ocupar o coreto construído em 1902 e que foi palco de muitas apresentações da época. Segundo o historiador Carlos Dias, um dos responsáveis pelo restauro do Parque da Luz, tanto o chalé-restaurante quanto o coreto foram projetados por Maximilian Emílio Hehl e eram os pontos de lazer da cidade na época, freqüentados pelo elite local.Serviço ? Calendário Burti 2002. Fotos de Miguel Rio Branco. De terça a domingo, das 10 às 18 horas. Parque da Luz. Praça da Luz n.º 2. Até 30/12. Abertura domingo, às 10 horas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.