Haroldo de Campos tinha "uma obra provocadora", diz João Ubaldo

A obra de Haroldo de Campos teve repercussão em áreas como as artes plásticas e a música, ao mesmo tempo em que discutia teorias da tradução e da poesia. Mas sua personalidade também é comentada, por exemplo, pela romancista Lygia Fagundes Telles, que destaca a seriedade e a dedicação com que trabalhava, tanto na produção poética, como nos ensaios e traduções. "Sua morte é uma perda muito grande para a literatura brasileira. Era um homem sério, grave, profundo". Para outro romancista, João Ubaldo Ribeiro, "Haroldo era um intelectual, com uma obra provocadora e instigante".Enquanto o poeta Ferreira Gullar, que divergiu bastante com o poeta paulista, em polêmicas travadas na imprensa, não deixa de reconhecer a importância de sua contribuição: "Acho que o Haroldo era um homem culto, inteligente. Contribuiu, com suas críticas, para a literatura e escreveu ensaios brilhantes. Embora discorde de muitas coisas, reconheço o trabalho dele". O professor e crítico Davi Arrigucci admirava Haroldo tanto como amigo como intelectual, considerando-o um crítico importante do Brasil e um poeta sério, que dedicou toda a vida à literatura, embora não se sinta à vontade para comentar sua poesia, com a qual não tinha muita afinidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.