Hamlet - Canastra Real reabre Teatro Denoy de Oliveira

Fechado há cerca de três anos, o Teatro Denoy de Oliveira será reaberto hoje com a estréia do espetáculo Hamlet - Canastra Real, uma leitura autoral da tragédia de Shakespeare. A direção é de Gabriel Carmona, mesmo diretor do ótimo Palhaços, recentemente em cartaz no Folias, e o elenco é formado por cinco atores do Forte Casa Teatro, responsáveis pela recuperação do teatro, em parceria com o Centro Popular de Cultura da União Municipal dos Estudantes Secundaristas (CPC-Umes). Nessa concepção, interessa sobretudo a disputa de poder que envolve todos os personagens da corte do rei Hamlet, assassinado pelo irmão Cláudio, que assume o trono. Mesmo a doce Ofélia sonha mesmo vir a ser a rainha e seu pai, Polônio, só se opõe por interesses políticos. O jogo, sugerido no título, está em cena, e dele os súditos , a sociedade, pouco sabem. "Como naquele jogo de guerra, War, a meta de todos é o poder, mas a estratégia é sempre esconder o objetivo", diz Carmona. "Shakespeare vive num momento de transição entre o sistema feudal e o Renascimento, que vai trazer outras estruturas de poder. Esse tipo de motor histórico interessa à nossa concepção. Como em As Três Irmãs, de Chekhov, há uma transformação a caminho. Aquele estilo guerreiro e conquistador de territórios do rei Hamlet não era mesmo mais compatível. Esses personagens vão ser esmagados pela História e isso é trágico." Em cena, os atores se revezam nos papéis para deixar claro que interessa menos o comportamento individual, psicologizado, e mais a movimentação dessas figuras na disputa de poder. "Como na ´corte´ do Brasil de hoje, toda a discussão está deslocada do centro, do que interessa. Os grandes projetos da maioria das pessoas são adquirir uma TV de muitas polegadas, trocar de carro, comprar a roupa da marca x ou y. E estão tristes. Enquanto isso, discute-se questões secundárias para a Nação." Mas se o grupo ambiciona atualizar sentidos, avisa não abrir mão da estética. "Não sei se conseguimos, mas procuramos unir ética e estética, num espetáculo bonito, que envolva as pessoas." Hamlet - Canastra Real. 90 min. 12 anos. Teatro Denoy de Oliveira (100 lug.). R. Rui Barbosa, 323, 3289-7475. 6.ª e sáb., 21 h; dom., 20 h (23/4, tb. 18 h). R$ 20. Estréia hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.