Günter Grass renuncia ao prêmio Brücke 2006

O escritor alemão e ganhador do prêmio Nobel de Literatura Günter Grass renunciou ao prêmio Brücke 2006, dado pelas cidades de Goerlitz (Alemanha) e Zgorzelec (Polônia), depois das críticas que recebeu ao confessar recentemente que foi soldado da Waffen-SS nazista em sua juventude. O prêmio, criado em 1993, é dado a personalidades que se destacaram ao promover aliança entre alemães e poloneses.O presidente da sociedade que outorga este prêmio, WilliXylander, confirmou hoje uma informação publicada pelo jornal online Faktuell.Xylander assegurou que iria telefonar "nesta tarde ou no mais tardar amanhã" para Grass a fim de tentar convencê-lo de não renunciar ao prêmio, cuja entrega estava prevista para o mês de novembro.Em março passado, o jurado do prêmio argumentou que o escritor alemão nascido em 1927, na cidade alemã de Danzig, atual Gdansk, na Polônia, merecia o prêmio por ter retratado "a história da Alemanha e da Polônia em imagens literárias inesquecíveis", em seus romances.O autor de "O Tambor" enviou agora um fax a Xylander anunciando sua renúncia ao prêmio Brücke (ponte, em alemão). Grass explica que o motivo de sua decisão foram as críticas que recebeu de vários políticos da União Cristã-Democrata (CDU) de Goerlitz depois de confessar que foi membro da Waffen-SS, a elite de combate nazista.Muitos consideraram tardia a confissão de Grass, mais de 60 anos depois do final da 2.ª Guerra Mundial, revelada em sua autobiografia "Descascando Cebolas", que está no topo dos livros mais vendidos da Alemanha.O prêmio Brücke, de 2.500 euros, é concedido em conjunto porGoerlitz e Zgorzelec, cidades separadas desde 1945 pela fronteira alemã-polonesa estabelecida no rio Niesse. O prêmio é concedido desde 1993 a personalidades que contribuíram com suas idéias para o desenvolvimento democrático e entendimento dos europeus.Entre os ganhadores do prêmio destacam-se a falecida jornalista alemã Marion Donhoeff, seu colega polonês Adam Michnick, o cardenal Miloslav Vlk, arcebispo de Praga; o músicoGiora Feidman e o presidente lituano Valdas Adamkus. Grass possui entre seus prêmios o Nobel de Literatura e oPríncipe de Asturias, obtidos ambos em 1999.

Agencia Estado,

30 de agosto de 2006 | 16h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.