Guinga e Chico em arranjos acanhados

Encarar a ficha técnica do novo trabalho do pianista e compositor Antonio Adolfo nas prateleiras das lojas é daqueles casos de se agitar. A começar pelo time de instrumentistas, que reúne, além de Antonio Adolfo, no piano, Jorge Helder, no contrabaixo, Rafael Barata, na bateria, Marcos Suzano, na percussão, Leo Amuedo, na guitarra, e Carol Saboya, nos vocais (que nada acrescentam) em duas faixas. Passando ao repertório, Adolfo conseguiu compilar, além de temas próprios, como Chora, Baião, que batiza o disco, Chicote e Chorosa Blues, simplesmente obras de Guinga e Chico Buarque, entre elas, uma parceria dos dois, a já gravada anteriormente Você, Você. Do violonista e maior compositor popular brasileiro dos últimos tempos, Adolfo e grupo interpretaram Dá o Pé, Loro, Nó na Garganta, Di Menor (parceria de Guinga com Celso Viáfora) e Catavento e Girassol (parceria com Aldir Blanc), que tem seu registro antológico na voz de Leila Pinheiro. De Chico Buarque, foram escolhidas A Ostra e o Vento, Gota D"Água e Morro Dois Irmãos. A intenção de regravar temas de Guinga e Chico e homenagear os dois é legítima, mas o disco não acerta em cheio pela opção dos arranjos sóbrios e respeitosos demais. A opção é delicada. Ao escolher regravar obras já executadas por nomes como Lula Galvão, Jessé Sadoc, Paulo Sérgio Santos, Gabrielle Mirabassi, Cristóvão Bastos, Pau Brasil e Mônica Salmaso, Hamilton de Holanda, André Mehmari e tantos outros craques, deve-se tentar sair do lugar comum. Temas inventivos clamam por regravações criativas. Não basta apenas optar por arranjos jazzísticos, finos e elegantes. Apesar dos poréns, Antonio Adolfo deve ser aplaudido.

Lucas Nobile, O Estado de S.Paulo

13 de agosto de 2011 | 00h00

ANTONIO ADOLFO

CHORA BAIÃO

AAM Music

Preço: R$ 34,00

OUÇA TAMBÉM

DI MENOR

Artista: Guinga

Álbum: Dialetto Carioca (2006)

Preço: US$ 20 (Amazon.com)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.