Guilherme Fontes condenado por sonegação fiscal

O ator e diretor Guilherme Fontes foi condenado em 8 de abril a pouco mais de três anos de prisão por sonegação fiscal, pela juíza Denise Paes, da 19ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio.

TALITA FIGUEIREDO, Agência Estado

28 de abril de 2010 | 00h06

A pena, no entanto, foi transformada em prestação de serviços comunitários por sete horas semanais durante um ano e mais o pagamento de R$ 12 mil em cestas básicas. A defesa do ator já entrou com recurso, que será avaliado na 4ª Câmara Criminal do TJ.

O processo, que corre desde junho, refere-se ao período em que o ator captou recursos para filmar Chatô- o Rei do Brasil, em meados dos anos 90. Segundo a sentença, ele deixou de pagar mais de R$ 250 mil em ISS ao Rio, onde funcionava sua empresa.

A sede da empresa oficialmente era Guarema (SP), onde o imposto teria sido recolhido durante um tempo. Até o fim da noite de ontem o Estado não havia conseguido falar com o ator, nem com seus advogados. Desde o início do processo, há dois anos, ele nega o crime.

Mais conteúdo sobre:
Fontescondenação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.