Gugu estuda acordo para se livrar de processo

O apresentador Gugu Liberato deve fazer um acordo judicial no qual aceitará indenizar o dano causado pela entrevista com dois falsos integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC) para não ser processado por apologia ao crime. "Esse será o meu conselho", disse o advogado de Gugu, Adriano Salles Vanni. Gugu vai dizer hoje à polícia que pediu uma entrevista com membros do PCC, mas não sabia das ameaças feitas e da fraude. Gugu obteve ontem na Justiça uma liminar em um habeas-corpus que impede seu indiciamento no inquérito do caso.Gugu deve depor às 13h30. Com o depoimento do apresentador, o Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic) deve encerrar o inquérito. Na farsa exibida pelo SBT no dia 7, no Domingo Legal, dois atores receberam R$ 150 para representar bandidos e ameaçar apresentadores de três redes de TV, o padre Marcelo Rossi e o vice-prefeito de São Paulo, Hélio Bicudo. O Deic indiciou à tarde por apologia ao crime o jornalista Wagner Mafezoli, chefe de reportagem afastado do Domingo Legal, e o produtor Rogério Casagrande. Eles foram acusados pelos atores. Ambos negaram a acusação.Gugu ameaçado - O Grupo de Atuação Especial e Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) informou a deputados da Comissão de Segurança Pública da Assembléia Legislativa que membros verdadeiros do PCC fizeram ameças a Gugu e aos envolvidos na farsa. Além disso, alguém, em nome do PCC, montou um site na internet e cita três vezes Gugu. "Isso é preocupante", disse o deputado estadual Conte Lopes (PP). O delegado Matheus Junior afirmou que não é possível saber se quem fez o site pertence ao PCC. O Deic abriu inquérito e quer tirar o site do ar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.