"Guerreiros Sem Espada", no metrô de São Paulo

O metrô Santa Cecília de São Paulo abriga, desde o dia 31 de outubro, a exposição "Guerreiros sem Espada", com fotos feitas na reserva indígena do Xingu desde a década de 50, extraídas do livro homônimo. Gratuita, a exibição segue até o dia 20 de novembro.Um dos destaques da exposição é a foto de Moiravã, índio Kaiabi criado pelos irmãos Villas Boas. Ele aparece equipado com máscara de mergulho, snorkel e arpão. Segundo Orlando Villas Boas, o índio estava feliz com o presente dado por um branco, pois pôde mergulhar em águas mais profundas. Hoje, com 46 anos, Moiravã chefia o posto Javarum, no Parque Xingu.Outra imagem que chama a atenção é a de índios Xavantes que, na tentativa de se defender do que julgavam ser um ataque branco, atiram flechas envenenadas contra um avião que sobrevoava a aldeia. A fuselagem do avião, clicada por Jean Manzon, foi perfurada por três setas. As imagens, feitas nos anos 50, foram publicadas em jornais do mundo todo.A mostra traz ainda a foto de um rei em pleno Xingu: Leopoldo III da Bélgica, sem coroa, enxada em punho, agachado e carpindo o mato. O monarca, que visitou a reserva em 1964, permaneceu lá por dois meses e conquistou a amizade dos índios. Outra foto interessante é a dos gigantes Krenhacãrone, índios que medem mais de dois metros de altura, com os quais os Villas Boas só fizeram contato em 1973. A exposição faz parte do Projeto Cultural Dana (www.dana.com.br/cultura), a única iniciativa do setor de autopeças premiada com o "Top de Marketing 99".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.