Grupo XIX de Teatro retorna com três montagens

O Grupo XIX de Teatro, aclamado pelos belos espetáculos Hysteria (2001) e Hygiene (2005), apresenta a partir de sábado três novas montagens que integram o projeto Casa em Obras, contemplado com o Prêmio Myrian Muniz. "Achamos que o modelo de oferecer oficinas estava desgastado. Então fizemos uma seleção de atores que estivessem a fim de participar de trabalhos com o Grupo XIX", conta Luiz Fernando Marques, diretor da companhia. Assim, os seis atores do Grupo XIX, além de Marques, se dividiram nos seguintes núcleos de pesquisa, uma vez responsáveis pela orientação de cada: Eu Era Carne agora Sou a Própria Navalha, exploração do universo do dramaturgo Plínio Marcos; Vila Clarice, que teve como base as histórias da escritora Clarice Lispector para construção de uma dramaturgia particular de cada ator; e Sonhos de Amor Rasgado, um trabalho que exigiu uma percepção corporal para elaboração textual dos intérpretes. O objetivo de criação desses grupos de pesquisa teatral foi oferecer um espaço para o amadurecimento de atores, na maioria recém-formados. "Muitos artistas não têm onde atuar depois que se formam. A idéia é dedicar este espaço para que o ator possa repensar o fazer teatral", diz Marques. No total, 63 atores iniciaram as pesquisas com o Grupo XIX. Sessenta deles continuaram firmes durante os oito meses do trabalho que será apresentado durante todo este mês gratuitamente. A partir de fevereiro, o Grupo XIX inicia uma turnê nacional (com o apoio do Prêmio Funarte de Circulação) com o espetáculo Hygiene, já bastante aplaudido em São Paulo. É a vez de Blumenau (SC), Santos (SP), Salvador (BA), João Pessoa (PB)e Rio se emocionarem com a história da implantação de normas de higiene que serviram de pretexto para a destruição de cortiços na cidade. Em março, um livro será lançado com os textos de Hygiene e de Hysteria. Como já pôde ser notado, o século 19 imprime uma certa fascinação à companhia que escolheu o período para o seu nome, inclusive. "É mais fácil para realizar pesquisas profundas sobre o passado, existe muito material. Gostamos de falar de temas como moradia, mulher, amor, esse lado histórico privado que é difícil de vermos desvendado. Aos poucos, vamos abrindo o leque" diz Marques. Projeto Casa em Obras. Vila Maria Zélia. Rua dos Prazeres, s/n.º Estréia sábado, às 18h30. Inf. pelo tel. (11) 8283-6269. Grátis

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.