Grupo teatral sai em passeata de protesto em Curitiba

O forte calor de Curitiba, 35 graus, têm esquentado mais do que os corpos dos artistas e público participantes da 16.ª edição do Festival de Teatro de Curitiba. Exasperados com o cancelamento de uma oficina de Bufão, que seria ministrada por Pancho Cappeletti, no Sesc da Esquina, entre os dias 29 a 31 de março, o grupo do Espírito Santo Circo Capixaba decidiu protestar com uma passeata e, também pretende, segundo seus integrantes, processar a organização do Festival de Teatro de Curitiba. De acordo com Wiliam Rodrigues, sua companhia gastou cerca de R$ 8 mil entre passagens, hospedagem e pagamento da oficina. "Nos devolveram o dinheiro da oficina mas ainda estamos no prejuízo. Eles (a organização do festival) disseram que o Pancho não quis dar a oficina para nove pessoas e cancelou. Mas nós vamos processá-los", disse Rodrigues.De outro lado, a organização do festival, na palavra de Nany Semicek, coordenadora executiva do evento, explica que Pancho primeiro alterou a data da oficina, antecipando o curso, depois de ele já ter sido divulgado e, com isso, dos 21 inscritos, somente 9 confirmaram a participação. "Mesmo assim, a secretaria de Pancho garantiu que ele ministraria a oficina, mas no dia ele simplesmente ligou e disse que não viria. Devolvemos o dinheiro da oficina imediatamente ao grupo e até tentamos oferecer outra oficina, mas eles (o grupo) não aceitaram." O grupo confirma o oferecimento, mas disse que não tem interesse em outra oficina. Em protesto, no dia 28, fez um judas com o nome do oficineiro e malhou pelo centro curitibano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.