Grupo Tapa volta com denúncia das elites

O diretor Eduardo Tolentino de Araújo, do Grupo Tapa, torna público, a partir de amanhã, um presente que recebeu há dois anos da atriz Thereza Rachel. Depois de assistir à montagem francesa de Les Directeurs, que rendeu ao autor Daniel Besse o Molière em 2001, a atriz resolveu trazer de Paris o texto que Tolentino estréia agora como Executivos, no Espaço Promon. Primeiro texto atual que o Grupo Tapa decide montar após os clássicos Major Barbara, de Bernard Shaw, e A Importância de Ser Fiel, de Oscar Wilde, Executivos mostra o cotidiano sofisticado de um grupo de diretores de uma grande empresa francesa de armamentos. Enquanto discorrem com propriedade sobre as obras de arte do Louvre, gastam as tardes em luxuosos campos de golfe e aceitam pagar até US$ 3 mil por um vinho de ótima safra, os personagens negociam a venda de armas que podem destruir nações inteiras. "É de um inacreditável cinismo", diz Tolentino. A peça não faz referências ao iminente ataque americano ao Iraque, mas não deixa de discutir as conveniências de uma guerra para as classes dominantes. A ação da peça transcorre durante uma delicada concorrência entre França e Estados Unidos para vender armamentos pesados ao exército inglês. "O texto enfatiza que, para aqueles executivos, não importa o que se passa no mundo, desde que eles consigam vender armas", diz o diretor. "É assustador de tão contemporâneo. São senhores da guerra, que se vestem bem e são polidos, mas, em seus gabinetes, tramam a destruição". Com Executivos, Tolentino acredita ter completado seu ciclo de peças sobre a classe dominante. Pois era desta elite, com abordagens distintas, que se ocupavam também os textos de Major Bárbara e A Importância de Ser Fiel. Como fizeram muito antes Shaw e Wilde, o francês Daniel Besse, de 50 anos, conseguiu encontrar também uma brecha em seu tema árido para injetar um pouco de humor: há uma cena em que os personagens falam sobre a aventura que seria promover uma rave num velho submarino nuclear russo, onde o público poderia tranqüilamente apreciar suas pastilhas de ecstasy entre ogivas nucleares. "O mais interessante neste texto é ver um grupo de franceses poderosos discutindo o fim dos ideais de liberdade, igualdade e fraternidade que nortearam sua histórica revolução", diz Tolentino. "Todos aqueles valores, eles concluem, foram substituídos pelo dinheiro. Vence hoje quem for mais sórdido". A partir da semana que vem, o Grupo Tapa estará em cartaz com dois espetáculos na cidade: além de Executivos, A Importância de Ser Fiel volta para nova temporada no Teatro Sérgio Cardoso.Executivos - Espaço Promon, Av. Juscelino Kubitschek, 1830, Itaim Bibi, tel.: 3847-4111. Quintas e sábados, às 21h, sextas às 21h30 e domingo às 19h. Ingressos de R$ 10 a R$ 30.

Agencia Estado,

05 de fevereiro de 2003 | 12h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.