Grupo Parlapatões inaugura sede na Praça Roosevelt

Aviões vão sobrevoar os céus da Praça Roosevelt nesta segunda-feira, a partir da 21 horas. Que isso vá ocorrer no dia 11 de setembro não é mera coincidência: serão aviões parlapatônicos, uma brincadeira do grupo teatral Parlapatões para marcar a abertura de sua nova sede, na Praça Roosevelt. A coincidência com o fatídico dia da queda das torres gêmeas foi mero acaso, mas um bom palhaço jamais deixaria de aproveitá-lo.Hugo Possolo, Raul Barretto, Henrique Stroeter e Claudinei Brandão fazem parte da linha de frente desse grupo que vem buscando o aperfeiçoamento da linguagem do humor. E prometem um evento em grande estilo nessa noite de abertura, desde política de boa vizinhança ("os integrantes dos Satyros, instalados na mesma praça vão emprestar xícaras de açúcar") até programação para gostos refinados, como a apresentação do Coro Collegium Musicum, regido pelo maestro Abel Rocha. "Ter um lugar no mapa é fundamental, a gente tem de celebrar", diz Possolo.Nesta segunda, também, a sede de 380 metros quadrados vai receber companheiros de jornada, como José Celso Martinez Corrêa, Bárbara Paz, Jairo Mattos, Marco Ricca e ainda o parceiro especial do Circo Roda Brasil, o Grupo Pia Fraus que, juntos, lerão trechos de peças suas já encenadas.Como se sabe, os Parlapatões levam o humor a sério. Daí terem planejado uma programação especial de inauguração, que ganhou patrocínio de Petrobrás. Nesta terça-feira, um espetáculo inédito, "Proibido para Menores", estréia no palco do Espaço Parlapatões. A partir daí, quatro espetáculos vão se revezar no palco, de segunda a segunda: "Prego na Testa", solo de Hugo Possolo com texto de Eric Bogosian; "Um Chopes, Dois Pastel e Uma Porção de Bobagem", com título auto-explicativo, de Mário Viana, e "Ex-Filhos", outra comédia ainda inédita. Possolo define "Proibido para Menores" como show de humor. São vários números unidos pelo mesmo ponto: brincar com *os animadores de festas infantis, entre outros eventos - gente que rala para sobreviver vendendo barato a nobre arte do palhaço.Mas é mesmo a reflexão sobre o riso o cerne do programa de inauguração. O Caldo do Humor é título de uma série de palestras, que contam com a participação de diferentes artistas. Entre eles, diretores que dificilmente teriam seus nomes associados ao gênero comédia, ainda que já as tenham encenado, como Eduardo Tolentino, do Grupo Tapa. "Tolentino é muito culto, estou supercurioso para ver o que ele vai falar", diz Possolo, diretor, dramaturgo, ator e um dos fundadores do Parlapatões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.