Grupo inglês encena contos de Xerazade

Sultões, odaliscas, comerciantes e aventureiros, além de fadas, espíritos e gênios maus, todos saídos das páginas de As Mil e Uma Noites, instalam-se hoje na cidade. Em temporada de apenas três récitas, a Young Vic Theatre Company, de Londres, mostra no Teatro São Pedro Arabian Night (Noites Árabes), que reúne seis contos extraídos da milenar antologia de histórias orientais. As Mil e Uma Noites são povoadas pelos contos de Xerazade, que entretém com narrativas seu marido, o rei Xariar, afastando-o do propósito de matar as esposas logo após a noite de núpcias, para se vingar da primeira mulher, que o traiu."As histórias", afirma o diretor do espetáculo, Dominic Cooke, "foram selecionadas não apenas por seu potencial teatral, mas também porque seu encadeamento mostra a sucessão de idéias que ensinam o rei a perdoar, ilustrando metaforicamente o poder da cura pela imaginação." A trama de Arabian Nights é formada pelo encadeamento das histórias Ali Babá e os 40 Ladrões; Como Abu Hassan Soltou um Pum; Simbá, o Marujo; O Pequeno Pedinte; A Esposa que não Queria Comer e As Irmãs Invejosas. Técnicas múltiplas Para pôr em cena Arabian Nights, Dominic Cooke recorreu a diversas técnicas teatrais, entre elas a mímica, o teatro físico, o teatro de bonecos. "Cada uma das histórias tem um estilo diferente das outras", diz Thea Sharock, assistente de direção de Cooke, que não acompanha a Young Vic Company na turnê. "Os nove atores do elenco", acrescenta ela, "têm de criar cerca de 200 personagens. O trabalho de interpretação pede deles que passem de personagens a narradores todo o tempo."Embora a produção dispense cenários, não abre mão de efeitos especiais. Lawrence van Gelder, do New York Times, em crítica datada de outubro deste ano, destacou no espetáculo "muito ouro e prata, um corredor de diamantes, pássaros mágicos, uma maligna feiticeira, homens e mulheres de pedra que voltam à vida..." O elenco da Young Vic, fundada há 30 anos, é multinacional e multirracial. Participam do espetáculo Paul Bhattacharjee, Pryianga Elan, Paul Chaidi, Natasha Gordon, Nizwar Karanj, Richard Katz, Martina Laird, Tristan Sharps, Yasmin Wilde e Érica Montanheiro. Segundo Dominic Cooke, as histórias não descrevem apenas romances e aventuras individuais, mas, juntas, "oferecem uma visão profunda e de longo alcance dos poderes de transformação da narrativa e do poder construtivo da arte".Arabian Nights - Teatro São Pedro (R. Barra Funda, 171, tel.: 3667-0499). De hoje a quinta, 20h30. R$ 20 e R$ 10 (estudantes).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.