Grupo Galpão festeja 20 anos

Com uma apresentação amanhã, às 20 horas, do espetáculo Molière Imaginário, na Praça do Papa, em Belo Horizonte, o Grupo Galpão inicia as comemorações do seu aniversário de 20 anos. Motivos para festejar não faltam ao grupo mineiro, cuja mais recente montagem, Um Trem ChamadoDesejo, dirigido por Chico Pelúcio, fez recente temporada emSão Paulo, onde ganhou o Prêmio Shell de cenografia. Depois deter alcançado projeção nacional e internacional - conquistaainda mais difícil para uma trupe fixada fora do eixo Rio-SãoPaulo -, o Galpão acaba de ganhar um patrocínio da Petrobras novalor de R$ 2 milhões anuais, garantido por um período de trêsanos e com possibilidade de renovação ao fim do período."Isso nos dá, finalmente, tranqüilidade para realizarnossos projetos", diz o ator e diretor Eduardo Moreira, um dosfundadores da companhia. E a trupe já se prepara para tirar omáximo de proveito dessa "tranqüilidade". Primeiro com olançamento, amanhã, de um CD com as trilhas dos espetáculosMolière Imaginário e Um Trem Chamado Desejo e umcatálogo fotográfico, com imagens de cinco montagens dacompanhia. Ainda este mês, o grupo viaja para os Estados Unidos,onde participa do festival de teatro Americart.Em maio, oGalpão realiza excursão por capitais nordestinas com outras duaspeças: Molière e Romeu e Julieta. No meio do ano, fazuma pausa para começar a preparar nova montagem. E ainda, emsetembro, apresenta em três capitais - Rio, São Paulo e BeloHorizonte - cinco peças: Romeu e Julieta, A Rua daAmargura, Molière Imaginário, Partido e Um TremChamado Desejo. "Será uma oportunidade para o público de verou rever as várias faces do grupo."Com tanta atividade, novo espetáculo mesmo só no ano quevem. "Como sempre, os 13 atores se reúnem e discutem sobre amontagem seguinte. Temos já algumas idéias, mas nenhuma decisão.Nem sobre texto, nem sobre diretor", diz Moreira. Mas eleantecipa que a tendência é por um texto já pronto, uma vez que aúltima experiência, Um Trem, com texto final de Luiz Albertode Abreu, foi criado a partir das idéias do grupo. E a tendênciatambém é por convidar um diretor externo, pelo mesmo motivo:Chico Pelúcio, ator do grupo, dirigiu Um Trem."O Galpão tem uma característica sui generis no que dizrespeito a companhias teatrais que, em sua maioria, giram emtorno da figura de um diretor. Nós somos um grupo de atores."Atualmente, o grupo tem cerca de 35 integrantes, mas o núcleobásico é formado por 13 atores e são deles as decisõesartísticas, sempre exaustivamente discutidas.A trupe quer lançar ainda este ano um longa-metragemcujo tema seriam os bastidores do teatro. "Nos últimos quatroanos, nós temos captado imagens em vários momentos no Brasil eno exterior. E Paulo José tem nos acompanhado nisso. Gostaríamosde lançar o filme ainda este ano."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.