Grupo da Calvin Klein compra a Tommy Hilfiger

Apesar da venda do seu negócio para a PVH, o estilista Tommy Hilfiger seguirá à frente do estilo da grife

EFE,

15 de março de 2010 | 18h18

A têxtil americana Phillips-Van Heusen (PVH) anunciou nesta segundam, 15, que chegou a um acordo para comprar a Tommy Hilfiger por US$ 3 bilhões, o que cria um dos maiores grupos de roupa do mundo.

O acordo entre a PVH e a Tommy Hilfiger inclui o pagamento de US$ 2,6 bilhões em espécie e de mais US$ 379,9 milhões em ações da Phillips-Van Heusen, que, além disso, assumirá outros US$ 137,6 milhões em passivos.

Em nota, a PVH, que tem sua sede em Nova York, disse que a receita combinada de ambos os negócios chegará a cerca de US$ 4,6 bilhões e permitirá à empresa compradora entrar em alguns mercados internacionais.

O presidente e executivo-chefe da têxtil nova-iorquina, Emanuel Chirico, disse durante uma conferência com investidores que 65% do negócio da grife Tommy Hilfiger está fora dos Estados Unidos, e que a aquisição representa para eles a oportunidade de crescer internacionalmente.

A PVH é proprietária das licenças de outras grandes marcas do munda da moda, como IZOD, Calvin Klein, Michael Kors, BCBG Maz Azria, BCBG Attitude, Sean John, Donald H. Trump Signature e Timberland.

Apesar da venda do seu negócio para a PVH, o estilista Tommy Hilfiger seguirá à frente do estilo da grife.

Mais conteúdo sobre:
Calvin KleinTommy Hilfiger

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.