Grupo boliviano mostra carnaval de seu país

Atrações inusitadas e bastante curiosas vindas de vários cantos de países sul-americanos marcam presença na 3.ª edição do Festival América do Sul, que ocorre anualmente em Corumbá, Mato Grosso do Sul. As apresentações ocorrem em 24 locais distribuídos em Corumbá e Ladário, no Brasil, Puerto Suárez e Puerto Quijarro, na Bolívia.A atração desta segunda-feira foi a apresentação do Caporale, uma dança característica do Carnaval de Oruro, na Bolívia. Devido à garoa fina que não pára de cair na região pantaneira, a apresentação do grupo de dança boliviano teve de ser transferida da Praça de Puerto Quijarro para o pátio do Colégio Dom Bosco, em Corumbá. Os universitários bolivianos que integram o grupo estavam empolgadíssimos com a sua apresentação. "É a primeira vez que a gente vem para cá", disse a estudante de agronomia boliviana Marcela Bernan, de 21 anos, enquanto se exibia dentro de sua linda roupa de festa. "Esses detalhes de pedrinhas não são colados, mas sim bordados um por um, à mão." Nesta terça, às 8h30, o destaque ficará por conta La Gran Marcha de los Muñecones (uma espécie de bonecos de Olinda, só que de Lima/Peru) mostrará o espetáculo Sueños de Gigantes, na Praça Generoso Ponce, em Corumbá. E às 20 horas, no palco Porto Geral, que beira o Rio Paraguai, o Cidade Negra mostrará seus maiores sucessos. O festival, que acaba só no próximo sábado, teve abertura no dia 20 com a Cyclophonica, a Orquestra de Câmara de Bicicletas, e a apresentação circense dos Irmãos Brothers, ambos os grupos vindos do Rio de Janeiro. À noite cerca de 5 mil pessoas foram conferir o show pop de Lulu Santos.A repórter viajou a convite do festival

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.