Greve de artistas suspende Festival de Avignon

O festival de teatro de Avignon, um dos mais prestigiados do mundo, cancelou os espetáculos que marcariam, hoje, a abertura de sua edição 2003. Isso porque os artistas franceses continuam em greve para protestar contra as restrições ao seguro-desemprego que o governo francês pretende implantar. Ainda hoje, os artistas devem se reunir para decidir se estendem a greve.O Festival de Avignon é o mais recente evento afetado pela onda de greves e protestos no meio cultural francês, depois do Festival de Dança de Montpellier e do Festival de Marseille. Por ser o de maior projeção, o governo recuou ontem de sua proposta e deu uma vitória parcial à classe artística. O ministro da Cultura, Jean-Jacques Aillagon, disse que iria mudar sua proposta e que só haveria mudanças no sistema de seguro-desemprego do setor cultural a partir de janeiro de 2004, três meses depois do prazo anterior. Hoje, porém, canceladas as primeiras apresentações do festival, o ministro disse que não vai mais tomar iniciativas para negociar com a classe.Pela lei atual, o artista ou técnico francês que trabalha um total de 507 horas pode pedir o seguro-desemprego quando não estiver trabalhando. A proposta do governo é manter as 507 horas como requisito, mas impor também um tempo mínimo de 10 meses de trabalho para requerer o benefício. A proposta foi considerada catastrófica pelos profissionais da cultura. Muitos deles trabalham sem datas certas e por isso, dizem, é importante poder retirar o seguro-desemprego a qualquer momento depois de preencher o critério das 507 horas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.