Greenpeace quer "Harry Potter" em papel reciclado

A organização ecologista Greenpeace pediu que as editoras de todo o mundo usem papel reciclado para publicar Harry Potter e o Príncipe Mestiço, o novo livro do personagem criado pela escritora britânica Joanne Rowling. A versão inglesa do sexto livro da saga de Harry Potter será lançado em 16 de julho e deve voltar, novamente, a bater um recorde mundial de vendas. O Greenpeace disse estar feliz pela decisão da editora canadense Raincoast Books, que publicará o livro em papel 100% reciclado, como fez em 2003 com Harry Potter e a Ordem do Phoenix.A iniciativa canadense está sendo imitada por outras editoras, como a alemã Carlsen e a britânica Bloomsbury. Como exemplo dos danos ecológicos que poderiam ser evitados, a organização afirmou que se a editora americana Scholastic tivesse publicado o livro em papel reciclado, 217.475 árvores teriam sido salvas. Por isso, o Greenpeace pede agora que a editora espanhola Salamandra e a holandesa Buhrmann - que ainda não decidiram em que tipo de papel publicarão o livro - que copiem o exemplo das editoras canadense e alemã. A italiana Salani e as israelenses Attic e Yediot Ahronot estão dispostas a usar papel reciclado em suas edições de Harry Potter e o Príncipe Mestiço, que será lançado nesses países em meados do segundo semestre deste ano.

Agencia Estado,

13 de julho de 2005 | 15h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.