"Grease" define elenco e acerta estréia

Todos os envolvidos na produção do musical Grease deram início à contagem regressiva para a estréia do badalado espetáculo, sucesso teatral da Broadway imortalizado por John Travolta e Olivia Newton-John no filme Grease - Nos Tempos da Brilhantina. Após três fases de testes extenuantes, foram definidos 34 participantes - selecionados entre 500 candidatos.Produtores, diretores e os próprios artistas terão até o fim de março para acertar os detalhes para a estréia do espetáculo, da montagem, figurinos e cenários à reforma do teatro.A primeira fase da seleção ocorreu no Teatro Hilton. Durante dois dias, os 500 candidatos tentaram revelar seu talento à banca composta por produtores e diretores. Na segunda etapa, 140 artistas passaram por testes de interpretação, canto e dança. "Na última fase, reunimos 62 artistas, os melhores. São completos, sabem interpretar, cantar e dançar. No Brasil há gente muito boa, que precisa de oportunidade e condições para aprimorar o potencial", declara o produtor José Pando.Afonso Nigro, escolhido para interpretar o protagonista Danny, papel vivido na tela por John Travolta, concorda com o produtor. "Fiquei impressionado com a qualidade dos concorrentes. A maioria dominava as três expressões artísticas. Todos profissionais sérios e muito bem preparados. Sem dúvida nenhuma, todos tinham condições de atuar."Nigro, que atuou na minissérie Anarquistas, Graças a Deus e participou por oito anos do grupo de música Dominó, está eufórico. "Estou muito feliz por integrar o elenco. Esta será uma grande oportunidade de unir a interpretação, que aprendi ainda criança, a música, que sempre estudei, e a dança, que desenvolvi na época do Dominó. Também será uma chance de mostrar que amadureci. Claro que é uma responsabilidade reviver um personagem interpretado tão magnificamente por Travolta. Chega a ser ousadia. Teremos de desenvolver características próprias, sem copiar e, ao mesmo tempo, sem desvirtuar o personagem. Um verdadeiro desafio", observa.Profissionalização - Para Pando, o período de teste mostrou que os artistas estão cada vez mais se aperfeiçoando. "Os intérpretes buscam a profissionalização. Existe muita vontade, mas não temos nem uma escola sequer voltada para musicais. Observamos que alguns candidatos fizeram cursos intensivos de canto e outros até foram ao exterior, aprofundar seus conhecimentos." Pando afirma que o pessoal da produtora de Ronald Tast, em Los Angeles, detentora dos direitos autorais do musical, ficou impressionado com a qualidade do grupo, que em três meses de ensaios realizou o que os artistas americanos levam pelo menos oito meses. "Ensaiamos em torno de dez horas por dia e lá não passam de seis horas."O espetáculo exige um perfil de personagens que se adaptem ao estereótipo dos estudantes americanos dos anos 50. Alguns nomes despontaram, como Paula Capovilla, sucesso em Les Misérables e Godspell, forte candidata para interpretar a personagem Rizzo. "Este é o terceiro musical de que participo, mas será a primeira vez que recebo um dos papéis principais. Sempre cantei no coro. Posso dizer que é uma honra participar de Grease. Sei que as comparações são inevitáveis, porém seguiremos aquilo que for determinado pela diretora. Tenho esperança de que seja um sucesso tão grande quanto o filme e as apresentações na Broadway."Amanda Acosta é a artista mais cotada para viver Sandy, personagem de Olivia Newton-John no longa. "Fiquei impressionada com a organização e o respeito pelos atores. Creio que o espetáculo, apesar de todo o peso, será bem-sucedido por causa das qualidades dos profissionais - atores, produtores e diretores." Amanda, que desde os 5 anos canta, investiu em aulas de canto lírico e dança. "Vou unir duas coisas que faço desde criança, o que é maravilhoso. E, no futuro, pretendo seguir carreira-solo." Outros destaques ficam por conta de Carol Bezerra, Adriana Fonseca, Jarbas Homem de Mello, que deve dividir com Nigro o papel de Dany. Os intérpretes serão agrupados em dois elencos, que se revezarão durante a temporada.Produção - As duas produtoras envolvidas, Brazilian Spotlights e Asa Produções Culturais, optaram pelo Teatro Gazeta para realizar a temporada. "O local é amplo e de fácil acesso. A Avenida Paulista é ideal, com linhas de metrô, ônibus e estacionamentos", explica Luciano Lopes, um dos responsáveis pelas reformas e restauração do Gazeta."Como temos a proposta de popularizar o musical e a região é freqüentada por pessoas de todas as classes sociais, definimos o preço dos ingressos entre R$ 20 a R$ 80", diz o produtor Waldir Archanjo. "São valores que não estão como gostaríamos, mas queremos que o maior número possível de passos assistam ao espetáculo. O patrocínio cobrirá os gastos com a montagem e a bilheteria suprirá a manutenção."A reforma do teatro, sob comando da arquiteta Cristina Andrade, conta com investimento de R$ 50 mil e inclui a substituição de poltronas, melhorias nos camarins e na acústica. Ao cenógrafo Renato Scripiliti foi dada a responsabilidade de transformar o foyer na entrada de um colégio. "Queremos que o público tenha a sensação de estar, literalmente, adentrando o universo de Grease. A idéia é fazer com que o público se sinta como os estudantes dos anos 50", explica Lopes. O diretor de produção tem apenas um mês, a partir do dia 3, para entregar a casa pronta para os ensaios. O grupo fará uma temporada de 6 meses na cidade e depois deve viajar pelo País.

Agencia Estado,

20 de janeiro de 2003 | 11h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.