FELIPE RAU/ESTADÃO
FELIPE RAU/ESTADÃO

Grandes shows da Virada serão transferidos para Interlagos, diz André Sturm

Secretário de Cultura de João Doria disse que o prefeito se mostrou infeliz com as repercussões de sua fala, e que parte do evento continua no Centro

Julio Maria, O Estado de S. Paulo

06 Dezembro 2016 | 11h44

O secretário de Cultura do prefeito eleito João Doria, André Sturm, disse na manhã desta terça-feira, 6, que serão retirados do Centro, durante a Virada Cultural 2017, apenas os palcos para grandes shows. "Não é fazendo grandes shows que vamos valorizar o Centro de São Paulo. Vamos transferir esses shows para Interlagos." 

Sturm disse que Doria se antecipou ao comentar sobre o assunto na tarde de segunda, 5, durante um evento na Fecomércio, e que as conclusões sobre sua fala também foram precipitadas. Sturm afirmou que o Centro vai usar palcos para shows menores, mas que o foco será o uso de equipamentos fechados, como as bibliotecas, museus e o Teatro Municipal. "Queremos usar a Virada como alavanca para estimular a frequência desses espaços durante o ano todo."

O palco da Júlio Prestes, considerado o principal e que abriga os maiores shows da Virada, incluindo o de abertura e o de encerramento, não vai mais existir. "Não teremos mais grandes shows no Centro", reafirmou o secretário.

Interlagos deve abrigar a demanda das atrações maiores com três palcos e uma área de descanso para o público. O entorno dos equipamentos também será abastecida de atrações menores, diz ele. "A ideia é fortalecer esses equipamentos, mas o entorno deles também." Ao final da conversa, Sturm ressaltou que tudo está ainda apenas no esboço e disse que o prefeito se mostrou infeliz com as repercussões de sua fala.

"Crítica é sempre válida"

Doria também explicou as mudanças que pretende fazar na Virada Cultural da cidade, evento que ocorre anualmente em maio na região central da capital, e que deixará de ser concentrada no centro. O anúncio foi criticado por seus idealizadores e frequentadores porque rompe com o conceito do programa de estimular a ocupação das ruas do centro paulistano.

"Nós vamos ter a Virada Cultural concentradamente em Interlagos, mas ela vai acontecer também nas unidades da Prefeitura de São Paulo, como Teatro Municipal, Biblioteca Mário de Andrade e também teatros privados que serão convidados para participar da Virada Cultural. Portanto, ela vai acontecer, sim, no centro de São Paulo, mas o grande movimento vai ser em Interlagos", disse.

"Crítica é sempre válida, faz parte do jogo. Quero lembrar que o André Sturm, secretário de Cultura, esclareceu de maneira muito clara as transformações que vamos ter na Virada Cultural. Para garantir sua continuidade, seu valor histórico, mas também a segurança das pessoas que vão participar em todos os níveis, em todos os sentidos. Então, estamos muito tranquilos em relação a essa decisão", completou.

Colaborou Fabio Leite

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.