Grandes autores brasileiros em CD

A idéia não é nova, mas foi preciso muita persistência para emplacá-la. Ao completar seis anos, a coleção Luz da Cidade, na qual atores reconhecidos gravam em CD textos de autores consagrados, chega a 27 títulos reunindo um escrete de primeira da literatura brasileira. O nome responsável pela façanha é o ator, produtor musical e compositor carioca Paulinho Lima, conhecido por letras com parceiros famosos como Nico Rezende, com quem fez Perigo, gravada por Zizi Possi. Nos últimos dias, seis títulos chegaram às livrarias: Rubem Braga - Crônicas, na voz de Edson Celulari; Lima Barreto - Contos, por Pedro Paulo Rangel; Manoel de Barros, também com Rangel e a participação de Barros; A Mulher que Matou os Peixes - Clarice Lispector, com Zezé Polessa; Henriqueta Lisboa, pela própria poeta, Affonso Romano de Sant´Anna e Ítalo Mudado; e Uma Idéia Toda Azul e Outras Histórias, escrito e lido por Marina Colasanti. Eles se somam aos outros 21, lançados desde 97, e tentam repetir o sucesso de alguns deles, como Fernando Pessoa, declamado por Paulo Autran, que já vendeu 10 mil exemplares. A idéia da coleção surgiu há mais tempo, mas só pôde ser concretizada com a chegada do CD. "Já pensava nisso desde meus tempos de estudante de teatro, mas o vinil limitava muito o tempo para leituras. No CD posso gravar 70 minutos e isso facilitou muito", diz Lima. Na década de 60, Irineu Garcia tornou-se pioneiro ao registrar em disco a voz e o texto lido de grandes poetas como Manuel Bandeira e Drummond, mas a iniciativa atolou no mercado distribuidor e tornou as bolachas peças de coleção. Com a experiência acumulada de produtor, Lima farejou um filão, algo que ele gosta de chamar de audiolivro. Foi atrás de nomes conhecidos como Autran, Chico Anysio, Aracy Balabanian e Tônia Carrero, e os convidou para gravar. "Todo mundo a quem eu recorro sente-se lisonjeado em registrar sua voz com esses grandes textos da literatura." Mas há alguns cuidados e vários obstáculos para se montar uma audiobiblioteca de literatura brasileira. A opção inicial era por poesia, cujo tamanho normalmente reduzido facilita o entendimento do ouvinte. "Não é muito fácil achar atores que recitem poesia porque é preciso que eles a entendam." Mesmo assim ele conseguiu que Othon Bastos gravasse Augusto dos Anjos e Nilda Spencer, Gregório de Matos, o primeiro CD da coleção. Hoje Luz da Cidade tem 14 títulos de poesia, cinco infanto-juvenis e nove de prosa. Algumas iniciativas esbarraram, contudo, em negociações difíceis com herdeiros. Estava tudo certo para que Guimarães Rosa fosse gravado por Lima Duarte, mas as filhas do escritor, Agnes e Vilma, pediram um preço exorbitante pela cessão dos direitos. Enquanto alguns nomes importantes ficam de fora, outros terão tratamento especial. É o caso de Carlos Drummond de Andrade, que terá registrada uma seleção de poemas lidos por grandes atores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.