Grafiteira de 11 anos faz sucesso na Grã-Bretanha

Solveig, da cidade de Brighton, está sendo chamada de 'Picasso da arte de rua'.

Maria Luisa Cavalcanti, BBC

27 de fevereiro de 2009 | 06h57

Uma menina britânica de 11 anos está sendo chamada de "a jovem Picasso da arte de rua" por causa de seus trabalhos de graffiti.Solveig, que mora na cidade litorânea de Brighton, começou a pintar muros perto de sua casa aos 8 anos."Eu já gostava de desenhar. Até que um dia vi um pessoal pintando, pedi para fazer também e adorei", disse ela à BBC Brasil. Agora, ela é convidada por grafiteiros para participar de pinturas em Londres e outras grandes cidades britânicas. "Todo mundo nesse meio é adulto. Mas eles gostam de mim e me respeitam", afirmou. Ela chegou até a ser chamada para tatuar um personagem na perna de um fã. Os graffitis de Solveig são caracterizados pelas cores fortes e os desenhos bem delineados. Muitos dos trabalhos consistem apenas no nome da artista. Outras vezes, apenas as letras "S", "O" e "L" aparecem.Ela costuma assinar as obras e colocar a idade que tinha quando pintou.A menina também costuma posar ao lado das pinturas e deixar as fotos em seu site na internet.Entre seus trabalhos preferidos, está uma pintura em um trecho das ruínas do Muro de Berlim. "É uma sensação estranha pintar um muro onde as pessoas levavam tiros se tentassem pular para o outro lado", escreveu ela em seu site.Há dois anos, Solveig e a família estiveram de férias em Natal (RN). "Eu tive vontade de pintar um muro lá, mas não encontramos tinta nem um local legal", contou ela à BBC Brasil."Sei que algumas pessoas pensam que o graffiti suja as ruas, mas eu não acho. Acho que fica bonito", disse. Além do graffiti, Solveig diz que gosta de brincar com suas Barbies e colecionar figurinhas da série de TV britânica Doctor Who.A atenção da mídia, no entanto, fez com que os pais decidissem "diminuir o ritmo" das atividades da menina, para que ela se dedique mais à escola.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.