Grã-Bretanha proíbe foto insinuante de modelo de 23 anos que aparentava 16

Foto de campanha de marca americana de roupas mostrava modelo com mamilo exposto.

BBC Brasil, BBC

02 de setembro de 2009 | 06h45

O órgão que regulamenta a propaganda da Grã-Bretanha, a Advertising Standards Authority (ASA, em inglês), proibiu uma campanha publicitária da marca americana de roupas American Apparel por usar uma modelo seminua com aparência de menor de idade.

Em uma série de seis fotografias, a modelo, que parece ter menos de 16 anos, vai revelando gradativamente o corpo, até que um dos mamilos é exposto parcialmente.

A American Apparel, baseada na cidade americana de Los Angeles, argumentou que a modelo tem 23 anos e que as imagens mostram como usar as roupas que oferece para criar visuais diferentes.

De acordo com o jornal britânico, The Guardian, a empresa disse que a ideia é mostrar uma mulher relaxando em casa e que o casaco com capuz "é suave ao toque" e pode ser usado diretamente em contato com a pele.

A American Apparel disse que não quis mostrar a modelo "como um objeto sexual ou sob um ângulo negativo ou derrogatório", segundo o Guardian.

'Striptease'

O anúncio foi publicado na revista Vice, dirigida a pessoas com idades entre 18 e 34 anos de idade e distribuida gratuitamente em bares, casas noturnas e lojas de roupas.

A ASA disse que "as fotografias sugerem que ela estava fazendo striptease para uma sessão de fotos amadora".

"Como o anúncio publicitário poderia dar a impressão de sexualizar a modelo que aparenta ser uma criança, com menos de 16 anos, nós concluímos que era impróprio e pode causar grande ofensa para alguns leitores."

Mas o órgão não reconheceu o mérito de uma queixa apresentada por um leitor de que a nudez era ofensiva e pode ser vista por crianças.

A ASA decidiu que a nudez "não era tão obviamente gratuita que a torne imprópria ou com probabilidade de causar ofensa grave ou generalizada para a audiência alvo da publicação".

Polêmica

Esta não é a primeira vez que propagandas da American Apparel causam polêmica. O diretor de cinema americano Woody Allen entrou com processo na Justiça exigindo indenização de US$ 10 milhões por terem usado imagens de seus filmes sem permissão.

As imagens incluíam uma do filme Noivo Neurótico, Noiva Nervosa (Annie Hall, 1977) em que Allen, que também atua, aparece vestido como um judeu hasídico, com barba longa e chapéu preto.

O diretor chamou a campanha de "infantil" e o caso foi resolvido em um acordo extrajudicial.

A empresa diz em seu website: "American Apparel é conhecida por suas roupas confortáveis e também por suas fotografias provocativas."BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.