Governo libera dinheiro para o Iphan

O governo iniciou este mês um grande plano de revitalização do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), mediante injeção de recursos e contratação de pessoal técnico novo. Há 20 anos que o Iphan não tinha concurso público para técnicos e tampouco recebia recursos extraordinários, embora seja o responsável pela fiscalização, proteção, identificação, restauração e preservação de 16 mil edifícios tombados, 50 centros e conjuntos urbanos, 5 mil sítios arqueológicos e mais de um milhão de objetos, além de 19 monumentos culturais e naturais considerados Patrimônio Mundial pela Unesco. As injeções de recursos no Iphan começaram esta semana. Na quarta-feira, o MinC liberou R$ 800 mil do Fundo Nacional de Cultura para trabalhos de revitalização das unidades museológicas do Iphan, com aquisição de equipamentos. Também liberou cerca de R$ 2 milhões para a instalação de elevadores e escadas rolantes do Museu Histórico Nacional, na Praça Marechal Âncora, no Rio de Janeiro. No dia 10, o Museu Histórico Nacional também recebeu um recurso adicional de cerca de R$ 100 mil para a recuperação e ampliação da área do seu arquivo institucional. E ainda outros R$ 183 mil para a realização do seminário internacional Museus, Monumentos e Cidades, dinheiro que também serviu para a edição do volume 35 dos Anais do Museu Histórico. O Museu Histórico Nacional tem mais de 70 anos de atividade e 300 mil objetos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.