Governo defende pagamento

"Em face do contido na reportagem veiculada pelo jornal O Estado de São Paulo, sob o título "Ministério da Cultura paga ao Ecad por download de músicas", cumpre esclarecer que a Funarte, responsável pela criação e divulgação do programa Studio F, transmitido pela internet e a pela Rádio Nacional, não paga pelo download (cópia digital) da obra musical, mas tão somente pelo streaming (a execução em tempo real) das canções disponibilizadas na internet.

O Estado de S.Paulo

05 de janeiro de 2012 | 03h07

O site do Studio F não disponibiliza, desta forma, a opção para baixar a sua programação na internet para uso futuro, sendo que a sua divulgação ao público é realizada somente através do acesso on-line pelo próprio site, descaracterizando o pagamento pela reprodução de obra musical, divulgado pela reportagem.

Aliás, o ato simples de fazer o download, que não pode ser confundido com a execução pública da obra musical, é outro direito dos criadores e dos seus titulares, que igualmente os autorizam a receberem pagamento pelas novas cópias de uma canção realizadas durante o processo de download ou depois dele, como concluiu também a decisão da Suprema Corte Americana, mencionada pela reportagem.

Assim, diante da competência exclusiva e legal do Ecad para a cobrança dos direitos autorais em face da execução pública da obra musical (streaming), foi observado pela Funarte, desde o ano de 2006, em respeito aos criadores e intérpretes da obra musical divulgadas pela programação do Studio F, a remuneração dos direitos autorais exclusivamente a esse título de utilização das canções. E não pelo download, frise-se.

No mais confiram a programação do Studio F."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.