Alaor Filho/AE - 4/5/2006
Alaor Filho/AE - 4/5/2006

Governo contrata compositor que faz defesa apaixonada de ações no MinC

Tibério Gaspar dá expediente eventual na sede da representação regional do MinC no Rio de Janeiro

Jotabê Medeiros, O Estado de S. Paulo

12 de janeiro de 2012 | 22h00

Tibério Gaspar é compositor, autor de um dos grandes sucessos de Wilson Simonal, Sá Marina. No atual cenário da política cultural, destacou-se, desde o início do ano, como um ferrenho defensor das políticas de Ana de Hollanda no meio musical. Tibério participa do Fórum Nacional de Música e outras listas do gênero e também atuou como fiscal do Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (o Ecad).

Em janeiro, em pleno embate da ministra com o pessoal da cultura digital, durante a retirada do selo do Creative Commons do site do MinC, Tibério veio a público e manifestou sua opinião. "A ministra Ana de Hollanda demonstrou uma insofismável coragem ao tirar o Creative Commons do site do MinC. Comprou uma briga de ‘cachorro grande’ porque o CC é somente a ponta do iceberg dos interesses dos grandes monopólios que sustentam a internet. Tomara que a presidenta Dilma compreenda o ato da ministra e desaloje também esse vírus americano da Fundação Getúlio Vargas. Chegou a hora dos criadores da cultura brasileira se unirem em prol da ministra para evitar que os capitães da indústria da cultura puxem o seu tapete."

Em setembro, a ministra premiou Tibério por seu empenho. Contratou-o para a Coordenação Geral de Tecnologia de Informação da Diretoria de Gestão Interna do MinC, com salário de cerca de R$ 3 mil. O problema é que Gestão Interna (GI) só existe em Brasília, e Tibério dá expediente eventual na sede da representação regional do MinC no Rio de Janeiro, como constatou a reportagem.

Tibério, na verdade, atua como interlocutor e articulador do ministério junto à classe musical para a questão do direito autoral, com um ponto de vista bastante similar ao do Ecad. Seria um cargo comissionado de confiança - nada irregular nisso, o ex-ministro Gilberto Gil também mantinha alguns conselheiros em sua gestão, como Antonio Risério, na Bahia. Mas a contratação é irregular.

Tibério não foi localizado ontem para comentar o assunto. Na representação do MinC no Rio, disseram que estava em atividades externas e que só a Assessoria de Comunicação (Ascom) do ministério poderia esclarecer. A Ascom não respondeu ao questionamento da reportagem até o fechamento desta edição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.