Josh Brolin gosta de comparar as oscilações do mercado de ações com os papéis da carreira. "Os dois são apostas. Não é só sorte, requer inteligência e disciplina. Você vai perder, mas quando ganhar, precisa compensar." O ator, que encarou diversos personagens controversos, falou de MIB, Goonies e da filha que quer ser atriz.

Entrevista com

25 de maio de 2012 | 03h12

O gosto pelo risco explica seu gosto por papéis difíceis?

Gosto de apostas perigosas. Interpretar o agente K jovem me pareceu tão arriscado como Dan White (o assassino de 'Milk'). Sou inseguro, gosto de sentir medo, de confrontá-lo.

Onde Os Fracos Não Têm Vez, W, Milk, qual o maior risco?

Em W, o cara era presidente na época. Havia extremistas de direita que estavam muito bravos comigo. Houve um momento do filme em que pensei que seria prudente ter um segurança.

Ainda perguntam sobre Goonies?

Você não tem ideia... Depois de passar 15 anos ouvindo sobre este filme, e você fez outros 30, fica cheio. Mas hoje amo falar nele.

Fora do trabalho, qual seu maior medo?

Não ser um bom pai.

Com Will Smith e seus filhos precoces, também incentivaria os seus a se tornarem atores?

Nunca incentivaria uma profissão que tem tanta rejeição. Mas minha filha (Eden, de 18 anos) está decidida e já é tão melhor do que eu... / F.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.