Gorbachev acusa EUA de alimentar desordem no mundo

O ex-presidente soviético Mikhail Gorbachev criticou na sexta-feira os Estados Unidos e em especial o atual presidente norte-americano, George W. Bush, acusando-os de alimentar a desordem no mundo ao buscarem construir um império. Gorbachev, que liderava a União Soviética quando da desintegração dela, disse que, desde o final da Guerra Fria, o governo dos EUA busca montar um império, mas que não consegue entender um mundo em constante mudança. "Os americanos deram à luz, então, a idéia de um novo império, de que o mundo seria liderado por uma única potência. E o que se seguiu?", perguntou o ex-dirigente a repórteres durante uma entrevista coletiva concedida em Moscou. "O que se seguiu foram ações unilaterais, o que se seguiu foram guerras, o que se seguiu foi ignorar o Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas), ignorar as leis internacionais e ignorar a vontade dos povos, entre os quais, até mesmo, os americanos." O atual presidente da Rússia, Vladimir Putin, e Bush afirmam ser amigos, mas a relação entre os dois viu-se abalada devido aos planos dos EUA de instalar parte de um escudo de defesa antimíssil no Leste Europeu, a desavenças em relação a Kosovo e à guerra no Iraque, além da competição por aliados em áreas antes ocupadas pela União Soviética. Muitos russos vêem nos EUA um país rival e um inimigo. Gorbachev, 76, que abandonou a política após o colapso da União Soviética, em 1991, não conta com bons índices de popularidade na Rússia. Ali, o ex-dirigente é acusado de ter feito naufragar o império soviético e de ter atirado milhões de pessoas na miséria. "Não acredito que o atual presidente dos EUA e o governo dele serão capazes de mudar a situação verificada hoje (no mundo) -- uma situação bastante perigosa", afirmou. Segundo Gorbachev, a esperança da Rússia de aprofundar os laços com o governo norte-americano perdeu força diante dos esforços dos EUA para construir um império. "Trata-se de um erro estratégico de grandes proporções. Nenhum centro único será capaz de comandar o mundo", afirmou o ex-líder soviético. Gorbachev disse que o governo norte-americano mostra-se aparentemente incapaz de adaptar-se a um mundo em constante mudança e vem ignorando -- ou não tem conseguido ver -- a ascensão do Brasil, da Rússia, da Índia e da China na qualidade de potências econômicas. Pai da "glasnost" (abertura), Gorbachev afirmou ser favorável às políticas de Putin. Mas observou que o partido Rússia Unida, do governo, vem minando os princípios democráticos em vigor no país.

GUY FAULCONBRIDGE, REUTERS

27 Julho 2007 | 12h34

Mais conteúdo sobre:
MUNDO GENTE GORBACHEV ACUSAEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.