Goonies, Mad Max e O Visitante

O Engano do Panamá

LUIZ CARLOS MERTEN, O Estado de S.Paulo

23 de junho de 2012 | 03h09

17H30 NA CULTURA

(The Panama Deception). EUA, Inglaterra, 1992. Direção de Barbara Trent.

O filme usa a crise e a intervenção no Panamá, por George Bush (pai), para tentar explicar as sucessivas guerras propostas por George W. Bush (filho) após o 11 de Setembro. A Casa Branca forja crises, a imprensa é conivente, a opinião pública é manipulada (e enganada). Um duro ataque ao poder. Reprise, colorido, 56 min.

Os Goonies

21H15 NO SBT

(The Goonies). EUA, 1985. Direção de Richard Donner, com Sean Astin, Josh Brolin, Jeff Cohen, Corey Feldman, Kerri Green, Martha Plimpton, Ke Huy Quan, Anne Ramsay.

Garotos se unem para procurar tesouro de lendário pirata e participam de aventura à moda antiga, incluindo uma vilã de maus bofes (Anne Ramsay). A história é de autoria de Steven Spielberg, que produziu o filme por meio da Amblin, e a trilha é uma apropriação de As Aventuras de Don Juan, de Max Steiner. Reprise, colorido, 114 min.

Para Aceitá-la Continue na

Linha

22H15 NA CULTURA

Brasil, 2009. Direção de Anna

Muylaert, com Bete Dorgam, Pierre Santos, Maria Manoella, Lourenço

Mutarelli.

A talentosa diretora de Durval Discos e É Proibido Fumar integra-se ao projeto de médias-metragens da Cultura e conta a história de dona de casa de classe média alta que é atormentada por telefonema de criminoso que diz que sequestrou sua filha. O que mais chama a atenção é a concisão do relato, sem prejuízo da densidade. Anna Muylaert confirma que é boa. Reprise, colorido, 52 min.

Farrapo Humano

23H15 NA CULTURA

(The Lost Weekend). EUA, 1945.

Direção de Billy Wilder, com Ray

Milland, Jane Wyman.

O Clube do Filme resgata - como sempre, no horário, dublado - o clássico noir que deu a Billy Wilder seu primeiro Oscar (de filme e direção). Houve outros por Se Meu Apartamento Falasse, em 1960. Ray Milland também recebeu o prêmio da Academia por seu papel como alcoólatra que passa fim de semana infernal, sem dinheiro para comprar bebida. O filme é forte, num estilo expressionista, com fotografia de acentuados contrastes e cenas de efeito, como o delírio, quando Milland se sente acuado pelos bichos. Mas nem Wilder, com seu filme problema, ousou radicalizar. No livro original, de Charles Jackson, o cara é gay. O cineasta deve ter achado que era informação demais para o público processar. Reprise, preto e branco, 100 min.

Soluços e Soluções

22H30 NA TV BRASIL

Brasil, 2001. Direção de Edu Felistoque e Nereu Cerdeira, com Eucir de Souza, Maristela Tobar, Fábio Villa Verde, Thadeu Menezes.

Publicitário enche a cara com amigos numa mesa de bar e termina propondo uma solução para acabar com a seca do Nordeste. O tom é de farsa e o filme busca revelar um País pouco conhecido dos brasileiros. Curioso, senão bom. Reprise, colorido, 119 min.

O Corcunda de Notre-Dame

22H45 NO SBT

(The Hunckback). EUA, 1997. Direção de Peter Medak, com Salma Rayek, Mandy Patinkin, Richard Harris,

Edward Atterton.

O cinema contou muitas vezes, como ficção live action e até animação, a história do romance de Victor Hugo sobre cigana desejada pelo padre da catedral de Notre-Dame e que é salva pelo corcunda que habita o local. A melhor versão segue sendo a de William Dieterle, de 1939, com Charles Laughton e Maureen O'Hara. Esta não chega a ser a pior, mas é quase. Reprise, colorido, 91 min.

TV Paga

Mad Max

14H40 NO TCM

(Mad Max). Austrália, Direção de

George Miller, com Mel Gibson, Joanne Samuel, Hugh Keaynys-Byrne.

A emissora apresenta a série completa e, após o primeiro filme, propõe o 2, Mad Max - A Caçada Continua (às 16h20) e o 3, Além da Cúpula do Trovão (às 18h05). A saga futurista passa-se num mundo pós-apocalíptico, em que há uma acirrada disputa por combustível para os carros que ainda trafegam. Mel Gibson virou astro no papel, todos os filmes foram feitos por George Miller (o terceiro, com codireção de George Olivier, tem participação de Tina Turner) e o curioso é que a franquia está sendo ressuscitada. O novo filme terá Charlize Theron, que rapou a cabeleira para fazer a heroína do futuro. Reprise, colorido, 93 min (os demais têm 95 e 107 min).

O Visitante

20H05 NO TELECINE CULT

(The Visitor). EUA, 2007. Direção de Thomas McCarthy, com Richard

Jenkins, Haaz Stejman, Hiam Abbas.

Viúvo solitário acolhe de má vontade em sua casa músico sírio, mas o cara o confronta com uma nova cultura - e uma nova possibilidade de vida. Richard Jenkins foi indicado para o Oscar e é excepcional no papel, mas Hiam Abbas supera toda classificação. É feminina, delicada, intensa. Um dos raros filmes que se aventuram a lançar um olhar diferenciado sobre a integração de muçulmanos no caldeirão racial e social dos Estados Unidos, no pós-11 de Setembro. Reprise, colorido, 104 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.