Glória Pires vai produzir filmes

O músico Orlando Morais e a atriz Glória Pires vão diversificar suas carreiras e negócios. O casal associou-se à produtora Accorde Cinema & Televisão, que atua há dez anos no mercado gaúcho, e vai escrever roteiros, produzir, dirigir e atuar em filmes, séries para a televisão, comerciais e até em campanhas políticas. Além de ampliar suas atividades artísticas, os novos sócios estréiam como empresários da indústria do audiovisual participando das decisões administrativas da Accorde, da captação de recursos para os projetos e, naturalmente, da distribuição de lucros."Moramos no Rio de Janeiro, temos uma fazenda em Goiás e agora montaremos mais uma base no Rio Grande do Sul", comentou a atriz ao anunciar o contrato na segunda-feira, em Porto Alegre. O diretor da Accorde, Paulo Nascimento, alimenta há alguns anos o sonho de criar um núcleo de teledramaturgia no Rio Grande do Sul. Em 1997, produziu com recursos próprios e patrocínios locais a minissérie A Hora do Louva-a-Deus, exibida no ano passado pela TVE gaúcha e prestes a entrar na programação do Canal Brasil.Atualmente, Nascimento dirige a novela infantil A Escola Mágica, um trabalho que tem a participação de sua mulher e sócia Marilaine Castro da Costa, dos roteiristas Airton Tomazzoni e Ronald Radde, dos atores Zé Victor Castiel e Oscar Simch e da atriz Carmem Silva. Os 60 capítulos da série, que será exibida pela TVE neste ano, têm alguns personagens fixos e histórias independentes com temas educativos recheados de humor e ação.Outro projeto assegurado por um prêmio de incentivo ao cinema é a produção do primeiro longa-metragem da Accorde, Um Quarto de Légua em Quadro, com roteiro de Nascimento e seu parceiro Beto Rodrigues. A filmagem está prevista para o ano que vem.Orlando Morais e Glória Pires integram-se à equipe da Accorde e vão participar das produções em andamento. Mas já criaram dez novos projetos em conjunto, alguns ainda em fase de estudos. O primeiro é o clipe da música Tanto Céu, de Orlando, que será rodado nos próximos dias no litoral gaúcho sob a direção de Nascimento. Depois haverá uma série de episódios para televisão que devem marcar a estréia de Glória como diretora.Orlando lembra que a idéia é mesmo diversificar. "Se a Glória quiser, pode trabalhar como figurinista de um filme", comenta, mostrando-se animado com as novas perspectivas. "Podemos partir para projetos experimentais fora do já viciado circuito Rio-São Paulo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.