Glória Coelho solta a criatividade no MorumbiFashion

A criatividade rolou solta no desfile de Glória Coelho, que abriu o quarto dia de desfiles do Morumbi Fashion Brasil. Uma explosão de cores lindíssimas invadiu a passarela com modelos embaladas em roupas com metros de tecidos cortados em diferentes formatos. A estilista procurou mostrar que roupa é conceito e os tecidos podem se transformar em maravilhosos volumes. Círculos, quadrados, tiras, losângos e todos os tipos de formas apareciam recortados.A passarela com aros de metal circulares indicou outro destaque do desfile: os metais. Todos os looks eram compostos com vários cintinhos, sapatos e fechos de metal. A primeira entrada do desfile mostrou uma continuidade do trabalho de Glória, que na última coleção explorou as meias de elastano. Elas apareciam desconstruídas em várias partes do corpo em faixas no joelho, nas pernas e nos braços. As frente únicas também são peças chave mas desta vez vêm reinventadas pela técnica de recortes. Na parte da frente do corpo muito volume, na parte de trás costas nuas que prendem coletes, vestidos ou blusas com fios metalizados. A G mostra várias versões de seu trabalho com recortes em tecidos, que às vezes aparecem com barras desfeitas. São ternos, coletes, saias, calças, vestidos e capas, propostos como peças únicas ou combinados a shorts. os tecidos também variam: são opções mais esportivas ou sofisticadas como organzas de seda, organzas laquê de poliéster, gazar e musselinas. As calcinhas, bodies e camisetas em malha stretch quebram em alguns looks o excesso de volume. As cores são o auge da coleção. Glória apresenta um arco-íris roxo, amarelo, verde militar, azul, rosa, vermelho, verde água e laranja. Uma coleção definida por Glória com palavras como "Antropofagia, Tropicália, Macunaíma, Vasarely". Um verdadeiro trabalho de moda mas muito pouco comercial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.